Comunicado aos telespectadores da TV Novo Tempo
29/06/2017
Comentários da Lição 1 (3o Trim/2017) por Membros da Classe do Moisés Sanches Júnior
30/06/2017

Meditação diária de 30/06/2017 por Flávio Reti

30 de junho

Dia do caminhoneiro

Atos 8:39    “Mandou parar o carro, desceram ambos à água, tanto Felipe quanto o eunuco, e Felipe o batizou”

Quando você começa observar os carros modernos, velozes e com dezenas de acessórios e complementos, você consegue imaginar como era no passado andar de carro de boi, ou puxado com cavalo? Já era um avanço, afinal, andar a pé era ainda pior. É um exercício interessante conhecer a história da evolução dos carros, desde as bigas dos Faraós até nossos fórmula 1 atuais. Até o ano 1700 nada mudou na maneira de transporte de pessoal. Tudo começa a mudar a partir de 1700, quando um francês teve a brilhante ideia de construir uma enorme gerigonça pesando 10 toneladas, movida a vapor, para puxar as peças da artilharia da guerra. A gerigonça evoluiu e em 1769 já transportava humanos, mas ainda com motor a vapor. Deveria ser um barulho infernal e fumaça fedorenta com o perigo da caldeira que gerava vapor explodir. Em 1885, Karl Benz, na Alemanha, produziu o primeiro carro para transporte de pessoas, com motor a gasolina e com apenas três rodas, um triciclo. A ignição era através de uma manivela. Complicado, não? Logo em seguida, ouro alemão desenvolveu o primeiro veículo de quatro rodas e já com motor a gasolina e de combustão interna. Melhorou bem! Só a Europa seguia avançando e modernizando os carros. A novidade só chegou aos Estados Unidos em 1892, muitos anos depois, com Henry Ford produzindo seu primeiro carro. Forçado pela recessão, precisando baratear o preço dos carros, nasceu o sistema de produção em série. De lá pra cá só alegria, os carros vêm evoluindo dia a dia. Air–bag, travas elétricas, ar condicionado, GPS embutido, DVD player com entrada para pendrive, câmera de ré e dezenas de comodidades já vêm de fábrica.

Os motoristas de hoje sequer concebem a ideia de dirigir um carro a vapor. Girar a manivela para dar a partida, rodas iguais às de carroça, aberto tomando sol, pra sair do lugar precisa ficar meia hora antes fervendo a água para gerar o vapor. As coisas mudaram, e como mudaram!

Mas muito antes de toda essa história que você acabou de ler, aí acima, a bíblia já registrava Elias sendo levado ao céu por um carro de fogo. Eu já vi carro de fórmula 1 pegando fogo, mas uma carruagem de fogo ainda não. Na linguagem de Davi, no salmo 20:7, parece que o salmista estava vivendo em nossos dias, quando ele diz que “uns confiam em carros, outros em cavalos, mas nós faremos menção do Senhor nosso Deus”. Você já notou como nós confiamos tanto em nossos carros? Até parece que um homem sem um carro é um aleijado, não consegue sair do lugar. E posso provar que confiamos mesmo! Passe por alguma oficina e peça para ver o pivô da roda dianteira do seu automóvel. Você vai ver que ele tem a espessura do seu dedo médio e você confia tanto nele que corre a 120 por hora tranquilo, sem se preocupar. A vida moderna faz tudo depender de um carro, ou de um bom transporte. Tudo está evoluindo, carroça, carro, trem, avião, onde vai parar não sei. Só sei que estamos desaprendendo a confiar em Deus em todos os detalhes de nossa vida. A medida que a tecnologia avança, a confiança em Deus retrocede. É aqui que devemos tomar cuidado. Carro de vapor, de gasolina, ou mesmo de álcool, avião, turbo hélice ou a jato, nada disso vai nos levar para o céu. O que precisamos é estrita confiança no Senhor nosso Deus para um dia subirmos com ele, como subiu Elias. Não pense como você vai subir, pense em subir e deixe o restante com Deus. Ele vem nos buscar e de algum modo vai nos levar. Nós vamos subir!

Os comentários estão encerrados.