Meditação diária de 29/10/2020 por Flávio Reti – Torradeira
29/10/2020
Comentários da Lição 05 (4º Trim/2020)
30/10/2020

Meditação diária de 30/10/2020 por Flávio Reti – Transfusão de Sangue

30 de outubro

I João 1:7  “mas, se andarmos na luz,… o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado”

Transfusão de Sangue

Chamamos de transfusão aquela atividade médica de transferir sangue de um indivíduo sadio para outro indivíduo doente ou que por alguma razão necessita de sangue, talvez para uma cirurgia. Pode ser também para transferir plaquetas, hemácias, leucócitos, tudo que possa estar no plasma sanguíneo. É um procedimento que tem sido considerado muito eficiente nos casos de hemorragias, de doenças sanguíneas, como Hemofilia, traumatismos ou em qualquer outra situação em que tenha havido perda considerável de sangue. Para haver sucesso no procedimento os dois agentes, doador e receptor, dever ser compatíveis nos seus tipos sanguíneos. As primeiras transfusões de sangue foram realizadas em animais no século XVII por Richard Lower, em Oxford, no ano de 1665. Dois anos depois, um médico que cuidava de Luis XIV, na França, injetou sangue de carneiro em um ambulante, doente mental, de 34 anos que perambulava pelas ruas e após a terceira transfusão ele morreu. Na cabeça do médico, Jean Batiste Denis, o sangue de animais era menos contaminado com paixões e vícios. Daí essa prática de injetar sangue de animais ser proibida em vários países e em várias faculdades de medicina da Inglaterra, da França e da Itália. A primeira transfusão de sangue entre humanos se atribui a James Blundell, em 1818 salvando mulheres com hemorragia pós parto, mas o problema com a coagulação sanguínea ainda perdurava. Foi só em 1901 que um austríaco, Karl Landsteiner chegou à classificação A,B,O para os diversos tipos de sangue. Foi depois dessa descoberta que foi possível evitar as reações desastradas que causavam a morte dos pacientes receptores de sangue. Em 1949 um médico espanhol fundou o primeiro banco de sangue, uma novidade para a conservação e estoque de sangue pronto para ser transfundido. O sangue é produzido na medula óssea dos ossos chatos, vértebrascostelasquadrilcrânio e esterno. O sangue também é classificado como do tipo A, B, AB ou O. Esta classificação teve origem na descoberta de dois antígenos, para os quais foram dados os nomes de A e B. Quando a hemácia possuía o antígeno A era chamado de sangue tipo A, quando possuía B, tipo B, quando possuía os dois, tipo AB. Quando não possuía nem A nem B, era assinalado com um número zero (0). As pessoas começaram a ler o zero como a letra O, dando origem ao sistema sanguíneo O. Mas o tipo de sangue mais comentado ainda é o sangue de Jesus derramado na cruz em nosso favor, para esse ainda não se achou substituto.

Os comentários estão encerrados.