Novas vagas econômicas para o Retiro de Verão 2019 em Camping
29/01/2019
Meditação diária de 31/01/2019 por Flávio Reti – Charles Haddon Spurgeon
31/01/2019

Meditação diária de 30/01/2019 por Flávio Reti – Mohandas Karamchand Gandhi

30 de janeiro

Salmos 120:7  “Eu sou pela paz, mas quando falo, eles são pela guerra”

Mohandas Karamchand Gandhi

30 de janeiro de 1948, em Nova Delhi, Índia, morreu assassinado o grande advogado da paz e líder do movimento pela independência da Índia, Mahatma Gandhi. Ele teve uma trajetória de vida complicada. Nasceu em Bombaim, na Índia, e durante a infância e adolescência foi educado na Índia. Quando adulto foi estudar em Londres (Inglaterra), e lá ele fez o curso de direito saindo com o título de advogado. Voltou para a Índia, sua terra natal, tornou-se membro do Supremo Tribunal de Bombaim. Em 1893, com 45 anos, mudou-se para a África do Sul para trabalhar como advogado. Atuou em defesa da minoria hindu que vivia neste país africano, lutando pelos direitos iguais. Nem tudo foi flores e ele voltou em 1914 para a Índia e lá começou uma campanha pela paz que estava abalada entre hindus e muçulmanos. Como a Índia era território de dominação britânica, Gandhi empreendeu uma luta pela criação de um estado autônomo dentro da Índia e com essas pretensões Gandhi acabou sendo preso inúmeras vezes pelos ingleses. Mas Gandhi era sempre contra a violência e defendia formas de lutar e protestar através de greves, passeatas, retiros espirituais e muitas vezes com greve de fome. Ele acabou sendo um dos principais personagens no processo de independência da Índia, conseguiu pacificar hindus e muçulmanos, mas teve a desdita de um dia se encontrar com um extremista hindu, seu próprio conterrâneo, e este o assassinou impiedosamente. De lá para cá, seus admiradores passaram a chamá-lo de Mahatma Gandhi, expressão que em sânscrito, a língua da Índia, quer dizer “alma grande”. Ele deixou para a história muitas frases de efeito, bem elaboradas, que perduram até hoje no vocabulário indiano. Veja algumas: “De nada vale a liberdade se não temos a liberdade de errar”; “O mais perfeito ato do ser humano é a paz”; “Olho por olho e o mundo acabará cego”. Gandhi é indiscutivelmente uma das figuras mais importantes do século XX. A sua luta não violenta pela paz mundial inspirou, e ainda inspira, milhares de pessoas a encararem a vida com mais otimismo e esperança.

Um homem que lutou pela paz é um bom exemplo. Jesus aconselhava buscar a paz da cidade por onde os discípulos passassem (Rom.12:18). Num mundo revolto como o nosso mundo de hoje, é muito bom ter pensamentos de paz. Era plano de Jesus que nós vivêssemos em paz (Jo.14:27). E continua seu plano que os seus fiéis vivam em paz eternamente. Hoje paz virou uma palavra cansada e já não tem mais o mesmo significado que Jesus pretendia que tivesse, porque os homens fazem guerra em busca da paz, algo inconcebível. Posso afirmar sem medo de errar que nossa paz, assim como a entendemos, se tece de mil mortes nas guerras de conquistas. Faça como Gandhi, procure a paz sem violência, diplomaticamente. A paz que precisamos não é aquela paz externa, social, mas a paz interna que só Jesus pode dar. Se tiver esta, automaticamente terá aquela também. Agora, acalme-se, fecha os olhos e ore a Deus pedindo paz pelo menos para este dia.

Os comentários estão encerrados.