Feliz Sábado
28/08/2020
Feliz Semana
29/08/2020

Meditação diária de 29/08/2020 por Flávio Reti – Pneu

29 de agosto

I João 2:17 “Ora, o mundo passa e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”

Pneu

Quando o veterinário escocês, John Boyd Dunlop observou seu filho de nove anos brincando com um velocípede cujas rodas eram de madeira, ele pensou logo em fazer alguma coisa para amortecer os impactos que as rodas produziam no chão duro e em trazer mais conforto para o garoto. Até aquele ano, 1888, tudo que tinha rodas era de ferro, de madeira ou de algum material semelhante na dureza para evitar o desgaste, mas o conforto era prejudicado e o menino usava o triciclo para ir à escola. O que Dunlop fez foi inflar uns tubos de látex que ele usava como veterinário e prender sobre a roda do triciclo e passar uma manta de lona por cima prendendo os tubos e inflou com uma bomba de encher balões. Essa foi a ideia básica na invenção dos pneus com câmara de ar interna e foi a alavanca que impulsionou os transportes terrestres sobre rodas que vieram a equipar bicicletas e automóveis futuramente. Um pneu moderno, como o conhecemos, pode durar até 70 mil quilômetros se for bem cuidado. Naturalmente ele deve ser calibrado periodicamente, balanceado, alinhado, rotacionado a cada 10 mil quilômetros. Há muita curiosidade em um pneu e uma delas é a presença daqueles sulcos que quando o pneu é novo deve medir 3.5 milímetros e servem para escoar a água que pode provocar aquaplanagem do veículo. Aconselha-se trocar os pneus quando os sulcos atingem 1.6 milímetros de profundidade nas ranhuras. E quando for trocar os pneus, aconselha-se que se coloque os mais novos sempre atrás e os mais gastos na frente. Todos os pneus têm um sigla DOT na sua lateral que nos informa o ano em que ele foi fabricado. Eles trazem também uma seta indicando o lado que eles devem rodar. A cor sempre negra do pneus tem uma lógica, é que durante a fabricação eles acrescentam fuligem na composição da borracha para aumentar a longevidade dos pneus. Hoje nós temos pneus para todo tipo de veículo, de carros a aviões e até carroças hoje usam pneus, que podem ser maciços, com câmera, sem câmera, cinturado, aramado e tantos outros aspectos. O pneu foi realmente uma grande invenção! Mas um pneu, por mais que ele gire, ele não sai do lugar, gira sempre em torno de seu eixo, o carro que ele suporta, esse sim sai do lugar. Assim é o mundo que gira sem parar e não sai do lugar, nós sim passamos pela vida e vamos em frente, para onde? Depende da decisão nossa. O pneu leva a qualquer destino sem pensar em consequências, mas nós não podemos ir a qualquer destino porque pra nós sempre haverá consequências, boas ou más.

Os comentários estão encerrados.