Meditação diária de 28/04/2020 por Flávio Reti – Eletroimã
28/04/2020
Culto de Oração – Hoje Ao Vivo / Live
29/04/2020

Meditação diária de 29/04/2020 por Flávio Reti – Elevador

29 de abril

Hebreus 4:16  “Cheguemo-nos, pois, confiadamente ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos no momento oportuno”

Elevador

Se você pensa em meios de transporte terrestre ou aéreo que só anda na horizontal, saiba que o elevador é considerado um meio de transporte que anda na vertical. Usado para transportar pessoas ou mercadorias, material de construção, ele é muitíssimo usado atualmente e tem uma história por trás. O primeiro elevador de que se tem notícia foi construído em Roma ainda no século I, antes de Cristo, por um engenheiro de nome Vitrúbia. Não era motorizado e você já pode desconfiar como ele subia e descia transportando cargas. Era um conjunto de roldanas puxadas por cordas pelas mãos humanas e geralmente de escravos. Era comum a corda se romper e o elevador despencar com tudo. Só em 1853 depois de Cristo que um americano de nome Elisha Graves Otis inventou um dispositivo para travar o elevador caso os cabos se rompessem. Mas o primeiro elevador elétrico foi criado por outro engenheiro de nome Werner von Siemens, em 1880 e instalado em um hotel, o Savoy Hotel. Em 2016, faz pouco tempo, os chineses testaram o elevador mais rápido do mundo que subia do térreo ao 95º andar em apenas 43 segundos, a uma velocidade de 72.4 km/h. O elevador mais antigo que inaugurou a era dos elevadores aqui no Brasil foi instalado no Rio de Janeiro, no castelo Mourisco e hoje está na FIOCRUZ (Fundação Osvaldo Cruz). Sabia que o elevador trabalha com um contrapeso na outra ponta do cabo que eleva a cabine? Quando a cabine sobe, o contrapeso desce e quando a cabine desce o contrapeso sobe e, assim equilibrada, os dois pendurados em cada ponta do mesmo cabo, a tração do motor faz menos força. Bem, um elevador não é novidade para ninguém, mas o seu sistema de equilíbrio é. A cabine cheia não pesa tanto quanto parece, por causa do contrapeso de 60% do peso dela que pesa do outro lado facilitando para ela subir ou descer. Então, aqui está um ponto que nos leva a pensar um pouco. Em Latim existe um provérbio que diz “Virtus médium est” que traduzindo seria “a virtude está no meio”, vamos dizer no equilíbrio. Pensa agora em uma pessoa desiquilibrada, que uma hora tem a cabeça no céu e na hora seguinte tem a cabeça no inferno. Em uma pessoa assim você não confia, não dispensa muita amizade, prefere evitar, porque seu comportamento é duvidoso, não se sabe qual será a reação dela, é imprevisível, não dá pra contar com ela. Por outro lado, uma pessoa centrada, equilibrada, da qual é previsível o comportamento, nessa você confia. É mais fácil confiar na maquinaria de um elevador do que confiar na reação de algumas pessoas. Nós precisamos de equilíbrio na vida, ou não mereceremos confiança.

Os comentários estão encerrados.