Meditação diária de 28/01/2021 por Flávio Reti – Por que muitos não creem que Deus existe?
28/01/2021
Feliz Sábado
29/01/2021

Meditação diária de 29/01/2021 por Flávio Reti – Por que as unhas ainda crescem depois que a pessoa morre?

29 de janeiro

João 11:26  “…todo aquele que vive e crê em mim, ainda que morra, viverá”

Por que as unhas ainda crescem depois que a pessoa morre?

Posso afirmar que não é só as unhas que ainda crescem depois da morte, mas o cabelo também. Acontece que a parada do coração e do cérebro que denominamos morte é diferente da morte das células em si. Quando o cérebro e o coração param, as células do restante do corpo ainda estão cheias de alimentos nutrientes e por um tempo continuam sua atividade, mas esse fenômeno não é para sempre, indefinido. É esse o fato que permite retirar, transportar e transplantar órgãos algumas horas depois da morte cerebral. É comum nos filmes de terror abrir o caixão e se deparar com cadáveres com unhas e cabelos exageradamente compridos, o que é mentira. É verdade que as unhas e o cabelo ainda crescem depois da pessoa morta, mas é por pouco tempo e o crescimento não é lá assim tão significativo, alguns milímetros apenas. O cabelo e as unhas são compostos de um material chamado queratina que é altamente resistente e depois que morremos eles vão demorar mais para se decompor. Nas exumações é comum o coveiro ou o legista encontrar pelos do corpo, unhas e cabelos ainda intactos. Aconteceu com o pintor Salvador Dalí, depois de 30 anos após sua morte, ele foi exumado e seu bigode, seu toque de identidade, ainda estava perfeito na posição que ele costumava usar, voltado para cima. Mas, mais cedo ou mais tarde tudo se acaba nesta vida. Do pó viemos e ao pó voltaremos inexoravelmente, afinal, essa foi a sentença de Deus no dia em que o homem pecou. Só permaneceremos se na volta de Jesus formos ressuscitados, juntamente com os santos de todas as épocas, para estar para sempre com o Senhor, no céu, onde não haverá mais morte. É tolice se preocupar com unhas e cabelos, se crescem ou se não crescem após a morte, mas deveríamos nos preocupar para nunca morrermos eternamente e isso é possível pela fé em Jesus e pela sua graça conquistada com seu sofrimento na cruz. Se um dia a morte nos surpreender, nosso criador pode nos recriar e pode também nos dar um lugar no seu reino, afinal, esta é a nossa bendita esperança prometida por ninguém menos do que o próprio Jesus. “Eu sou a ressurreição e a vida, quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (João 11:25).

Os comentários estão encerrados.