Culto de Domingo
27/09/2020
Meditação diária de 29/09/2020 por Flávio Reti – Secador de Cabelo
29/09/2020

Meditação diária de 28/09/2020 por Flávio Reti – Satlink

28 de setembro

Isaías 40:26  “Levantai ao alto os olhos e vede: Quem criou estas coisas?

Satlink

Ontem nós falamos sobre satélites que ficam no espaço, numa faixa imaginária chamada Cinturão de Clark a 36.000 quilômetros de altitude e de lá mandam sinais de televisão, de rádio, de dados para internet. Mas uma pergunta surge agora: Se há milhares de satélites nessa região e muito lixo espacial também, como é possível localizar um satélite lá no alto nessa distância? Se você apontar uma mira a laser para um satélite e desviar o laser apenas 0,5 centímetros, quando chegar lá onde está o satélite vai estar a quilômetros longe do satélite. Logo, é uma tarefa difícil localizar um satélite no meio de tantos, e nessa altura de 36.000 quilômetros! Mas para isso existe um aparelho chamado satlink no qual você insere o nome do satélite, uma frequência ativa qualquer na qual o satélite esteja transmitindo e conectado a uma antena parabólica tentar apontar para o satélite. Primeiramente você deve saber em que posição está o satélite no cinturão de Clark que é medido em graus. Ao apontar para o satélite, o satlink identifica aquela frequência do sinal emitido pelo satélite e, na hora que ele encontrar o satélite, nos informa a força do sinal, a qualidade do sinal através de um gráfico e de um som, tipo apito, para nos dizer que o satélite foi localizado. Próximo passo é só fixar a antena na posição encontrada e curtir tudo que o satélite está enviando para a terra. Uma vez localizado o satélite através do satlink, ele mesmo tem uma telinha na qual já podemos assistir ao que está sendo transmitido. Se um aparelhinho pesando menos de 1/2 quilo pode localizar um único satélite no espaço, a 36.000 quilômetros de distância, no meio de milhares de outros satélites e muito lixo espacial, por que, então, Deus não seria capaz de localizá-lo aqui na terra e ter consciência de que você existe? Por certo você conhece aquele hino “Deus sabe, Deus ouve, Deus vê” (Hino n. 500 no Hinário Adventista) e há de concordar que de fato Deus sabe, Deus ouve e Deus vê. É muito bom termos essa consciência de que Deus supervisiona o universo e sabermos que nada se furta ao seu conhecimento. Afinal, “até os cabelos da nossa cabeça já estão contados” (Lucas 12:7). A expressão “Pai Nosso que está no céu”, quando proferida com lábios sinceros já é um reconhecimento de que Deus é senhor de nossa vida e que tem em suas mãos os destinos do universo. Nós é que às vezes somos obtusos e temos dificuldades para entender isso tão simples no relacionamento entre Deus e nós. Assim como você aponta para o céu e acha um satélite lá, Deus olha para a terra e vê você aqui.

Os comentários estão encerrados.