Meditação diária de 27/04/2020 por Flávio Reti – Eletricidade
27/04/2020
Meditação diária de 29/04/2020 por Flávio Reti – Elevador
29/04/2020

Meditação diária de 28/04/2020 por Flávio Reti – Eletroimã

28 de abril

Oseias 11:4  “Atraí-os com cordas humanas, com laços de amor, e fui para eles como os que tiram o jugo de sobre as suas queixadas…”

Eletroimã

Imã todo mundo conhece, especialmente aquele que se cola na geladeira. Mas aquele é um imã artificial, feito com uma porcentagem de carbono no ferro. Agora estamos falando de eletroímã, um imã construído com o auxílio da eletricidade. O princípio é o seguinte: Quando uma corrente circula por uma bobina, ela gera em torno de si um campo magnético. Quer dizer, então, que quando uma corrente circula por uma bobina ela vira um imã, pronto, já é um eletroímã. Para aumentar o campo, a bobina é enrolada em cima de um núcleo de ferro e se você puser outra bobina passiva dentro desse campo, esse campo vai saltar para a outra bobina também. É com esse princípio que se constrói os motores elétricos, os transformadores que você vê nos postes. O telégrafo se baseava nesse princípio, a campainha ding dong se baseia nesse princípio, aqueles enormes eletroímãs usados para erguer toneladas de ferro velho se baseia nesse princípio. Foi uma tremenda descoberta, que não teve um inventor, mas sua utilidade hoje é fenomenal, porque em quase tudo que é elétrico funciona com um eletroímã, inclusive aquele liquidificador da sua cozinha. Não há dificuldade, a ideia básica que faz de uma bobina um eletroímã é muito simples, quase ridícula para uma mente normal, mas ela existe, está aí e é empregada em quase tudo que funciona com eletricidade. Você já experimentou passar o pente no cabelo e depois aproximá-lo de alguns pedacinhos de papel? O pente se imanta pelo atrito e passa a atrair os papéis picados. O pente se transformou em um imã, mas não é um eletroímã. Um eletroímã acontece quando uma corrente elétrica passa por uma bobina enrolada em cima de um pedaço de ferro que também se transforma em um imã. Este pode ser forte o suficiente para ser usado nos guindastes para levantar toneladas de peso. Na minha vila havia um embarcadouro de gado. A máquina deixava lá os vagões boiadeiros, injetava ar comprimido que travava os freios e nós, moleques, íamos lá e soltávamos o ar e os vagões desciam até saírem dos trilhos no final da linha. Depois a companhia mandava um enorme guindaste que erguia os vagões, girava com eles no ar e os colocava na linha atrás do guindaste. Sabe como o guindaste fazia isso? Usando um eletroímã poderoso, com enorme poder de atração, para erguer os vagões. Foi pensando nesse poder de atração que eu pensei pelo lado religioso. Por que os homens são atraídos para Deus? Por que Deus exerce essa grande atração sobre os homens? Aqui não é pela eletricidade, não é pelo eletroímã, mas por amor. O amor de Deus convence, encanta e atrai. Um imã, ou um eletroímã, só atrai metais e o amor de Deus só atrai as pessoas, tocando no seu coração. Você se sente atraído por Jesus?

Os comentários estão encerrados.