CPB na igreja
26/09/2017
Meditação diária de 28/09/2017 por Flávio Reti
28/09/2017

Meditação diária de 27/09/2017 por Flávio Reti

27 de setembro

Dia mundial do turismo

I coríntios 4:19   “Em breve, porém, irei ter convosco, se o Senhor quiser e então conhecerei, não as palavras dos que andam inchados, mas o poder”

Falar da importância do turismo é demonstrar seu valor cultural, econômico, político e social. Todos os países do mundo realizam iniciativas para promover o turismo porque sabem que a atividade tem uma importância vital na economia, por isso mesmo é considerado um dos maiores fatores econômicos do mundo. Além de benefícios econômicos, o turismo assume importância quando promove também a cultura, a língua e os costumes de um país, de um povo ou de uma população. Não fosse o turismo, o que seria de um país como San Marino, incrustado dentro da Itália, cujo território inteiro é menor do que muitas cidades e tem apenas 61 quilômetros quadrados? A OMT (Organização Mundial de Turismo) considera turismo viagens de até 1 ano, além disso já é permanência, e não pode estar vinculado a algum trabalho ou estudo, embora muito se fale a respeito de turismo de trabalho. Não existe lazer melhor do que turistar noutros países, comer comidas diferentes, observar costumes diferentes e falar outra língua com pessoas muito diferentes. No centro de Santiago, Chile, há um morro íngreme de onde se pode ver toda a cidade e ao redor de Santiago as montanhas cobertas de neve. Dentro da cidade o clima está gostoso, normal e ao redor tudo é neve. Esse tipo de visão, que o turismo permite, é coisa que nunca mais se apaga da mente.

Estive reparando alguns personagens bíblicos e parece que eles também gostavam de fazer turismo. Elias foi para Sarepta, em Tiro, (I Re.17:9), o profeta Eliseu foi para Síria visitar o rei Bem-Hadade.  Rute acompanhou a sogra e foi para Israel (Ru.1:16), Jesus foi a Samaria, percorreu toda a Galileia e andou pela Judeia. Crescente foi para a Galácia, Tito foi para Dalmácia (II Tim.4:10). Paulo foi mais ousado, fez três viagens missionárias pela Ásia e chegou até a Europa. Aliás, é bom lembrar que Jesus mandou os discípulos irem a todo o mundo. O homem gosta de ir e vir, essa liberdade é garantida em todas as constituições de todos os países do mundo.

Mas o tur que mais nos interessa no momento será aquele que vamos fazer por ocasião da vinda de Jesus. Os mortos ressuscitarão incorruptíveis e se unirão com os salvos que estarão vivos por ocasião da volta de Jesus e juntos seremos arrebatados nos ares (I Tess.4:16-18) para ir com o Senhor. Será uma viagem longa e Ellen White assim descreveu: “Todos nós entramos na nuvem, e estivemos sete dias ascendendo para o mar de vidro, aonde Jesus trouxe as coroas, e com Sua própria destra as colocou sobre nossa cabeça. Deu-nos harpas de ouro e palmas de vitória. (Primeiros Escritos, pág. 16). Ellen White disse mais, que no céu os remidos terão asas e alçarão voos incansáveis para os mundos distantes. “O Senhor me proporcionou uma vista de outros mundos. Foram-me dadas asas e um anjo me acompanhou da cidade a um lugar magnífico e glorioso. A relva era de um verde vivo e os pássaros gorjeavam ali cânticos suaves. Os habitantes do lugar eram de todas as estaturas; nobres, majestosos e formosos. Ostentavam a expressa imagem de Jesus e seu semblante irradiava santa alegria, que era uma expressão da liberdade e felicidade do lugar. Perguntei a um deles por que eram muito mais formosos que os da Terra. A resposta foi: “Vivemos em estrita obediência aos mandamentos de Deus, e não caímos em desobediência, como os habitantes da Terra.” … Pedi ao meu anjo assistente que me deixasse ficar ali. Não podia suportar o pensamento de voltar a este mundo tenebroso. Disse então o anjo: “Deves voltar e, se fores fiel, juntamente com os 144.000 terás o privilégio de visitar todos os mundos e ver a obra das mãos de Deus” (Primeiros Escritos, págs. 39 e 40). Esse é o turismo que eu almejo fazer um dia. Oro para que Deus me proporcione essa oportunidade de visitar, não outros países, embora isso seja interessante, mas outros mundos. Ellen White conta que foi levada a um mundo que tinha sete luas (saturno?) e viu ali o velho e bom Enoque. Perguntou se aquele era o lugar para onde foi transportado da terra e ele respondeu que não, que sua morada era na cidade santa e que havia vindo visitar o lugar e percorria o lugar como se estivesse em sua casa (Vida e Ensinos, p.98). Faça planos, porque o turismo celestial promete!

Os comentários estão encerrados.