Impacto Esperança 2017
25/05/2017
Novo Encontro especial
26/05/2017

Meditação Diária de 26/05/2017 por Flávio Reti

Dia de combate ao glaucoma

“desvenda os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei” Salmos 119:18

Várias são as infecções que acometem os olhos, mas glaucoma não é uma infecção. É o aumento da pressão dentro do globo ocular e que se não for tratada pode cegar o indivíduo. É uma doença silenciosa que raramente apresenta sintomas. O paciente só vai se aperceber quando começa sentir dores de cabeça, sensibilidade à luz, enjoo e dor intensa no olho. Daí, pode ser que o nervo ótico já esteja afetado e corre o risco de perder a visão. Esse dia 26 de maio é dedicado ao combate ao glaucoma. É uma doença considerada a maior causa de cegueira no mundo. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima em 4.5 milhões de pessoas que perderam a visão a causa foi o glaucoma. Esta data é propícia à reflexão sobre a doença. Afinal. Prevenir a cegueira é o grande desafio dos oftalmologistas porque no Brasil ainda é pequena a conscientização do malefício e da gravidade da doença. O mundo de um cego é escuridão total, horrível. Você já parou e pensou como seria se você fosse cego? Experimente, feche os olhos por 10 minutos e tente fazer as coisas básicas na completa escuridão. Depois abra os olhos e veja que bênção Deus lhe proporcionou dando-lhe a capacidade de ver.

Mas há além do glaucoma, muitas outras causas de cegueira. Glaucoma é apenas uma delas. Dizem que o pior cego é aquele que não quer ver e há alguma verdade nesse ditado popular. Na prática de não querer ver, a pessoa vira a cara, fecha os olhos, disfarça olhando pra outra coisa, até nega que está vendo.

O Salmista pede a Deus que desvende, tire a venda, de seus olhos para que ele possa ver. Precisamos ver além das coisas materiais. Precisamos alargar nossa visão para enxergarmos além dos nossos sentidos. Ver a glória de Deus, ver a grandeza de seu poder, ver a profundidade de seu amor, da sua misericórdia, ver o poder de sua palavra, a altura de sua autoridade, a sua inteligência por trás das obras criadas. Existe um mundo além da nossa visão, por mais perfeita que ela seja. E existem também coisas que nos rodeiam que nunca vimos e nunca veremos, apesar de sermos normais. Talvez um cego enxergue melhor do que nós

Nas últimas Olimpíadas do Rio, pudemos assistir às competições dos paraolímpicos. Entre as competições vimos o futebol dos cegos, a corrida de cegos, lutas de cegos. No futebol, para poder se localizar, eles vão pelo barulho de um guizo dentro da bola e quando chutam, chutam a esmo admitindo que o gol está logo ali, na sua frente.

Bem, o que estamos nós fazendo no mundo? Tateando à procura de alguma coisa? Talvez! Mas Deus é aquele que nos toma pela mão direita e nos diz que nos ajudará (Is. 41:13). Nossa visão já é limitada, não podemos ser guiados por outro cego. Dependemos de que Deus nos guie de verdade para não errarmos o caminho, o alvo. Mas Deus só pode guiar quem admite que não consegue ver claramente, como foi o caso do salmista. Ele provavelmente não estava vendo as maravilhas das leis de Deus, aquelas mesmas leis que controlam os mundos no espaço, que sustenta todas as obras criadas, que faz nascer o sol a cada novo dia, que mantém todas as coisas como foram criadas desde o princípio. Por isso ele pediu: Tire a venda dos meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei. Eu entendo que devo também orar da mesma maneira, porque afinal, há muitas coisas que eu não estou vendo, só Deus sabe da minha cegueira. Nele eu esperarei. “Quando o pecado embota as percepções morais, o transgressor já não discerne os defeitos de seu caráter, nem reconhece a enormidade do mal que cometeu e a menos que se renda ao poder persuasivo do Espírito Santo, permanece em parcial cegueira quanto aos seus pecados. Suas confissões não são sinceras e ferventes. A cada reconhecimento de seu pecado acrescenta uma desculpa em justificação de seu procedimento, declarando que se não fossem certas circunstâncias, não teria praticado este ou aquele ato, pelo qual está sendo reprovado” (Caminho a Cristo, p.40). Cegueira espiritual existe e pode acometer qualquer um, assim como o glaucoma. Cuidado, a linha divisória é muito tênue. Podemos não estar enxergando direitinho.

Os comentários estão encerrados.