Chorus Dei – Inscrições de novos coralistas para 2019
25/01/2019
Meditação diária de 27/01/2019 por Flávio Reti – Andrew Carnegie
27/01/2019

Meditação diária de 26/01/2019 por Flávio Reti – Nelson Aldrich Rockefeller

26 de janeiro

Salmos 37:18  “O Senhor conhece os dias dos íntegros e a herança deles permanecerá para sempre”

Nelson Aldrich Rockefeller

Seria mais um nome comum se não fosse esse sobrenome Rockefeller que nunca saiu da mídia americana. Primeiramente Nelson Rockefeler foi um filantropo e grande empresário e, além de líder do partido Liberal Republicano nos Estados Unidos, foi governador de seu estado, o Estado de Nova York, e é membro de uma das famílias mais ricas do mundo. A maior parte da fortuna americana gira entre os membros da família Rockefeller ainda hoje. Para você ter uma ideia do significado desse nome, lembre-se que Rockefeler era um político moderado e nos seus dias os moderados do partido republicano foram chamados e conhecidos como “Rockefeler Republicans”, tamanha era sua influência na política. Como governador de Nova York, de 1959 a 1973, suas realizações incluem a expansão da Universidade Estadual de Nova York, os esforços para proteger o meio ambiente, e a construção do Nelson A. Rockefeller Empire State Plaza, em Albany. Aumentou ainda as instalações e pessoal para atendimento médico e criou o Conselho de Estado de Nova York para as artes, que atribui hoje mais de 2700 bolsas a cada ano para todas as disciplinas artísticas em todo o estado. Com a renúncia do presidente Richard Nixon ele assumiu a presidência da república americana e com seus outros quatro irmãos fundou a Rockefeler Brothers Fundation, uma entidade com fins sociais. Essa data de 26 de janeiro em 1979 marca a data do passamento do grande filantropo e empresário, além de governador do Estado de Nova York e de presidente da América, Nelson Aldrich Rockefeller. Aqui no Brasil, o atacadista Makro, Roupa masculina Garbo, Plano urbanístico da cidade de São Paulo, Milho híbrido, Café, Cabeças de boi a perder de vista, Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio e de São Paulo foram tantos e tão variados os negócios e os projetos impulsionados pelo magnata Nelson Aldrich Rockefeller no Brasil que seu nome deveria ter se tornado tão comum nas ruas de nossas cidades quanto o de Getúlio Vargas ou do imortal Machado de Assis. Neto de John D. Rockefeller, fundador da petroleira Standard Oil e homem mais rico do mundo no início do século 20, ele, o menino Nelson, poderia ter vivido uma juventude frívola não fosse talvez a severa educação evangélica em que “extravagância e prodigalidade eram os pecados capitais. Sem mais comentários, convém saber que ele deixou um legado: Apesar de rico, se preocupava com os pobres.

Deixar um legado, essa deveria ser a preocupação de todos os homens que passam por esta vida. Afinal, olhar para trás e não ver nada de bom que realizamos será muito frustrante. Que Deus nos ajude também para deixarmos um legado e ser para sempre lembrado positivamente. Muitas pessoas que vivem hoje, que estão por aí levando a vida, não têm consciência da vida. Não param para raciocinar sobre a vida, o valor da vida, o significado da vida, o propósito da vida. A vida provém de Deus e não é por mero acaso que você está vivendo. Deve haver um objetivo mais elevado para a vida de cada um e obviamente há um objetivo mais elevado, ou Cristo não teria dado a vida no Calvário por você e por mim.

Os comentários estão encerrados.