Doar – Os maiores beneficiados somos nós!
24/11/2020
Semana de Oração
25/11/2020

Meditação diária de 25/11/2020 por Flávio Reti – Narguilé

25 de novembro

Isaías 5:20  “Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal, que põem as trevas por luz e a luz, por trevas…”

Narguilé

A inventividade humana não respeita limites e inventaram um instrumento, denominado narguilé, que substitui o cachimbo, mas com água dentro. Sua função é a mesma do cachimbo, fumar tabaco além de ópio ou a maconha. O nome é de origem persa, usado principalmente nos países árabes onde também recebe o nome de xixá. Nos países de fala inglesa é chamado de hookah, ou de water pipe (cachimbo d’agua). O modelo e o formato pode variar, mas no funcionamento é um cachimbo d’agua, porque ele força a fumaça passar pela água a fim de resfriar antes de chegar à boca do fumante. Ele vem se espalhando no Brasil, especialmente entre os jovens, para mostrar criatividade, novidade e atrevimento de adolescentes e jovens. Esse estrupício foi inventado na Índia ainda no século I por um médico (Hakim Abul Fath) que queria retirar impurezas da fumaça. Mas as pessoas próximas viram nele a possibilidade de usar para fumar o ópio e lá pela Índia ele ficou até 1940 quando caiu nas mãos dos árabes e rapidamente passou a ser apreciado para se fumar em grupos, assim como fazem os gaúchos com a cuia de chimarrão, enquanto vão bebericando um golinho e batendo papo com conversas inúteis. O nome narguilé, na origem persa, significa coco, porque os primeiros eram feitos de madeira e tinha um coco para depósito da água. Suas partes são compostas de um vaso de vidro ou de cerâmica onde vai a água ou algum suco ou ainda alguma essência, depois um corpo onde vai o carvão em brasas sobre o qual se coloca o tabaco também aromatizado e por fim uma mangueira para o usuário aspirar a fumaça. O fumo ou o tabaco que vai dentro é misturado com melaço de cana, com frutas ou com aromatizantes que podem variar entre sabor pêssego, maçã, flores, mel e até coca-cola ou vinho. A criatividade daquilo que não presta não respeita limites. Alguém disse que se fosse para o homem um dia fumar e soltar fumaça pelo nariz, Deus teria feito uma chaminé na cabeça do homem. Mas como ele não fez essa chaminé, entende-se que o homem não foi feito para imitar uma locomotiva com caldeira movida a carvão. Como está escrito, “Deus fez o homem perfeito, mas ele se meteu em muitas invenções” (Ecles.7:29). O narguilé é uma das várias invenções que só veio em prejuízo dos homens, como a invenção da bebida alcoólica, da arma de fogo. Daqui para frente, nesse boom tecnológico que estamos vivendo, muitas invenções ainda virão, oxalá sejam em benefício do homem e nunca em prejuízo.

Os comentários estão encerrados.