Meditação diária de 24/05/2020 por Flávio Reti – Fita métrica
24/05/2020
Meditação diária de 26/05/2020 por Flávio Reti – Fogos de artifício
26/05/2020

Meditação diária de 25/05/2020 por Flávio Reti – Fogão a Gás

25 de maio

Hebreus 12:29  “Pois o nosso Deus é um fogo consumidor”

Fogão a Gás

Eu me lembro de quando estava com nove anos de idade que meu tio me levou para passear em São Paulo na casa de uma tia, irmã da minha mãe e que morava em uma vila afastada do centro de nome Vila Diva, lá pelos lados do Sapopemba, zona leste. Na minha casa, em Guaianás, município de Pederneiras, nós usávamos fogão a lenha que eu era encarregado de buscar no mato e estocar numa casinha de fundo no nosso quintal. Todos os dias eu tinha que levantar cedo e acender o fogo para fazer o café, essa era minha incumbência. Mas ao chegar a São Paulo, na casa da minha tia, eu estranhei porque vi que ela acendia um fogão diferente cheio de carvão. E lá no canto da casa, do lado de fora, estava um enorme saco de carvão para alimentar o fogão dela. Dias depois passou na rua um carroção puxado por dois cavalos e o carroceiro gritando “carvoeiro”, e ela saiu e comprou mais um saco de carvão. Era assim que ela se virava na cidade de São Paulo exatamente no ano em que a cidade comemorava 400 anos. Era o quarto centenário de São Paulo e meu tio havia me levado com ele para assistir às programações especiais daquele dia, 25 de Janeiro de 1954, quando eu conheci também o fogão a carvão. Foi depois dessa minha experiência que entrou no mercado o gás para fogão que era comprado, e ainda é, em botijões pesando 30 quilos, mas só com 13 quilos de gás liquefeito de petróleo. Um pouco mais e o gás ganhou espaço desbancando o carvão e passou a ser agora encanado para os apartamentos e para as residências do centro da cidade, enquanto a periferia ainda utiliza os botijões. Com isso a revenda de gás envasado nos botijões virou um negócio comercial fabuloso para muitos distribuidores. Hoje, fogão a lenha ou fogão a carvão é história, saudosismo, lembrança da infância e lendas nas histórias infantis. Mas o uso do fogo tem uma longa história, muito antes da invenção do fogão a gás, porque a capacidade de controlar o fogo promoveu uma mudança dramática nos hábitos de vida dos primeiros habitantes. O fogo tem um simbolismo nas religiões, tem utilidade na indústria e tem crendices nas nossas cabeças. Nossa bíblia não fala absolutamente nada sobre fogão, mas fala de fogo para purificação (Mal.3:2) e fala de fogo para destruição (Apoc.20:9). Logo, nossa preocupação não vai para fogão, mas fatalmente deve ir para o fogo, afinal, todos sabem que o fogo queima e que dói e depois de passar pelo fogo nunca mais será a mesma coisa e se nós passarmos pelo fogo, também nunca mais seremos os mesmos.

Os comentários estão encerrados.