Culto de Oração
24/03/2021
LIÇÃO 13 – A RENOVAÇÃO DO PLANETA TERRA
25/03/2021

Meditação diária de 25/03/2021 por Flávio Reti – Como a aranha consegue tecer no espaço?

25 de março

I Coríntios 15:58  “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”

Como a aranha consegue tecer no espaço?

É bom que se saiba que nem todas as aranhas são tecelãs, porque há aquelas que fazem seus ninhos no chão, nos barrancos, mas a maioria tece com fios de seda produzidos no seu abdômen. Para fazer sua teia ela se joga de um ponto ao outro deixando atrás de si um fio pelo qual ela retorna e vai tecendo até ter completa a casa armadilha para apanhar seu alimento, moscas e outros insetos. Presume-se que haja mais de 40.000 espécies de aranhas. Há aranhas tão grandes que são capazes de predar pássaros e pequenos animais como os roedores. Aqui no Brasil temos mais de 4.000 espécies de aranhas registradas e catalogadas e dessas apenas três tipos atacam as pessoas: a aranha marrom, a armadeira e a viúva negra. Na história da Escócia encontramos seu libertador numa de suas muitas batalhas pela libertação, fugindo e abandonado numa cabana. No canto da cabana o homem observava o tremendo esforço de uma aranha e quase ficou sem fôlego quando a aranha ficou pendurada pelo seu único fio. O fio se rompeu e ela caiu no solo. Tentou outra vez, subiu pela parede e se pendurou novamente tentando construir sua teia suspensa no espaço. Várias vezes a aranha tentou subindo e caindo e sempre puxando atrás de si um frágil fio. A cada insucesso ela fazia nova tentativa. O homem que observava a aranha ficou contando suas tentativas e chegou a contar seis vezes mal sucedidas. Na sétima vez ela conseguiu chegar ao teto entrelaçar o fio no lugar devido e se pendurar nele com sucesso. Nisso o homem falou consigo mesmo: “Essa aranha prefigura minha própria história, porque já seis vezes tentei libertar a Escócia da dominação inglesa e sempre falhei, mas se ela tentou a sétima vez e foi bem sucedida, eu vou tentar também”. Aquele homem era Robert Bruce, que foi coroado o rei da Escócia em 1306. É exatamente nesses momentos que nós devemos pôr nossa fé em Deus, nas suas promessas. Podemos até cair, mas não precisamos continuar caídos, porque Deus pode nos ajudar a nos erguer novamente quantas vezes for necessário. Ele nos prometeu poder para vencer, logo, não precisamos nos desanimar porque a vitória nos espera um pouco mais à frente, se não desistirmos. Desistência é própria dos fracos, pusilânimes, enquanto a resistência é própria dos destemidos, arrojados, mas firmados nas promessas de nosso Senhor Jesus Cristo. Lembre-se que nossa força nada é, mas que “tudo podemos naquele que nos fortalece” (Fil.4:13).

Os comentários estão encerrados.