Meditação diária de 24/02/2019 por Flávio Reti – Johann Ambrosius Bach
24/02/2019
Meditação diária de 26/02/2019 por Flávio Reti – William Frederick Cody
26/02/2019

Meditação diária de 25/02/2019 por Flávio Reti – George Harrison

25 de fevereiro

Jó 7:7  “Lembra-te de que minha vida é um sopro, os meus olhos não tornarão a ver o bem”

George Harrison

Quem nunca ouviu falar dos Beatles, aquele grupo de roqueiros britânicos, que ensurdeciam com sua banda de rock lançando moda no mundo do rock? Mas entre eles estava um cujo apelido era “o beatle quieto” que por ter se aderido ao hinduísmo tinha um comportamento um pouco diferente. Ele se esforçou para introduzir na banda dos beatles alguns instrumentos da cultura indiana, mas ele mesmo era o guitarrista do grupo, além de cantor, compositor e produtor musical. Além da tentativa de direcionar a banda para a meditação transcendental, posteriormente ele mesmo se associou com o movimento Hare Krishna. Ele participou e fez parceria com muitos outros músicos contemporâneos, entre eles Bob Dylan, Eric Clapton, Ringo Starr e com isso a revista Rolling Stone o pôs na 11ª posição dentre os 100 maiores guitarristas de todos os tempos. Infelizmente, como frequentemente acontece com esse pessoal da mídia, seu primeiro casamento acabou em divórcio, mas um ano depois ele se casou novamente e teve um filho de nome Dhani. Morreu jovem ainda, em 2001, com 58 anos, com câncer no pulmão. Como ele era adepto do hinduísmo, seu corpo foi cremado e as cinzas jogadas no Rio Ganges, na Índia, seguindo a tradição hindu. O que impressiona é que ele deixou para o filho um patrimônio de 100 milhões de libras inglesas. Mas passou para a eternidade, como tudo passa nesta vida e hoje, os mais jovens quase nem se lembram desse nome. Num momento de sua vida, Harrison lançou um álbum com dois discos contendo músicas suas e deu ao álbum o título sugestivo de “All Things must pass” que traduzido nos dá o seguinte em Português: “Todas as coisas devem passar”. Talvez nem ele mesmo tenha pensado que um dia, não muito distante, sua banda, seu sucesso, seus amigos, todos passariam para sempre. Assim é a vida neste mundo, segundo a bíblia, um sopro que passa ligeiro ou como uma sombra que declina (Sal.144:4). Este é um aspecto da vida que quase sempre nos escapa da percepção. Nós nos envolvemos com muitas coisas e sequer percebemos que o tempo inexoravelmente está passando por nós e de repente já estamos declinando para deixar este mundo. O que resta, então? Posso afirmar que só resta no céu um registro fiel da nossa vida, das nossas decisões acertadas e erradas, e mais nenhuma oportunidade de correção de tudo que fizemos nesta vida. Para George Harrison, a eternidade chegou como chegará para todos nós, quer queiramos ou não, porque assim é a vida, apenas uma oportunidade para a vida eterna quando Jesus regressar. Oxalá tomemos consciência disso para aguardar com paciência a volta de Jesus. E não somente aguardar, mas se preparar para ela, para estar em pé diante do juiz de toda a terra, o mesmo que neste exato momento governa e sustenta os mundos no espaço. Diante dele, um dia, a terra irá tremer, os fundamentos “serão abalados” e nós veremos Jesus voltando para “dar a cada um segundo as suas obras”. Não precisamos temer aquele dia, basta que agora façamos um concerto com o eterno de andar nos seus caminhos e nunca nos desviarmos dele.

Os comentários estão encerrados.