Meditação diária de 23/07/2020 por Flávio Reti – Medidas de tempo
23/07/2020
Culto de Sábado – 25/07 – Ao Vivo
24/07/2020

Meditação diária de 24/07/2020 por Flávio Reti – Metrô

24 de julho

Salmos 37:5  “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele e ele tudo fará”

Metrô

Esse meio de transporte urbano subterrâneo sobre trilhos recebeu entre nós o nome de Metrô, uma corruptela da palavra metropolitano, alguma coisa relacionado com metrópole, cidade grande. Não é muita novidade, porque no mundo inteiro existem 140 pra mais redes de metrô e vem crescendo a demanda devido aos congestionamentos frequentes das grandes cidades. No momento, a rede de metrô mais extensa está em Xangai, com 567 km e em seguida a rede de Pequim, com 442 km. Embora o metrô de Nova York seja um dos mais antigos do mundo, depois de Londres, ele só tem 418 km. No Brasil temos apenas 337 km. A primeira linha de metrô foi inaugurada em Londres no ano 1863 e era o próprio trem de ferro que circulava pelos túneis da cidade, mas os passageiros passaram a evitar o transporte pela fumaça que ficava dentro dos túneis, mas quando as linhas foram eletrificadas a população comprou a ideia de usar o trem subterrâneo para fugir do congestionamento já naqueles dias. A popularidade do metrô não está no conforto dos trens, embora eles sejam todos automatizados e com ar condicionado, está nas estações modernas onde acontecem feiras e exposições de arte, coisas não próprias da função do metrô. Aqui no Brasil a primeira linha foi inaugurada em 1974, em São Paulo, e cinco anos depois no Rio de Janeiro. Muitas grandes cidades usam o metrô para dar demonstração de desenvolvimento econômico, de poder social de elevada tecnologia do país. Para comprovar isso, veja o metrô de Moscou onde as paredes são revestidas de mármore, o piso é feito com granito polido e muito mosaico luxuoso para tornar as estações as mais belas do mundo a ponto dos moscovitas chamarem as estações de “palácios subterrâneos”. Para sua maior curiosidade, existem metrôs cujas composições de vagões não necessitam de um condutor, tudo é feito automaticamente e entre eles está a linha 4 do metrô de São Paulo. Nesse caso o que pode acontecer? Tudo pode acontecer e não há a quem culpar em caso de acidente, é andar de metrô também pela fé. Que lhe parece, um trem subterrâneo, em alta velocidade, sem um condutor no controle, passível de um acidente sem proporções? Agora compare com os homens que circulam por este mundo tão perigoso quanto um metrô nas entranhas da terra e de tal forma independentes que não aceitam alguém maior do que eles a guiar-lhes a vida neste mundo. Assim somos nós, quando queremos conduzir nossa vida sem a direção de nosso Deus. Não somos um trem de metrô sem condutor, mas agimos tal e qual. Isso faz sentido para você?

Os comentários estão encerrados.