Meditação Diária de 22/05/2017 por Flávio Reti
22/05/2017
Meditação Diária de 24/05/2017 por Flávio Reti
24/05/2017

Meditação Diária de 23/05/2017 por Flávio Reti

Dia da tartaruga

“E logo após o bocado, entrou nele satanás. Disse-lhe, pois, Jesus: O que fazes, faze-o depressa” João 13:27

Sempre que estou dirigindo e há algum motorista muito devagar à minha frente, costumo dizer, em tom de brincadeira, para minha esposa: “En la delantera, va una tortuguita” que em Espanhol quer dizer “Lá, na frente, vai uma tartaruguinha”. A tartaruga é um animal calmo por excelência. Ela parece caminhar sem pressa, até parece que o mundo pode desabar ao seu redor que ela não se abala. Esse dia 23 de maio, como o dia da tartaruga, é um evento promovido pela American Tortoise Rescue, uma organização que se fundou para proteção das tartarugas. Seu objetivo é chamar atenção pelo respeito ao reino animal e aumentar o conhecimento das tartarugas e cágados na esperança de poder ajudá-los a sobreviver e se desenvolver. Aqui no Brasil temos o projeto TAMAR (uma contração das palavras Tartarugas Marinhas) que nada mais é senão um programa brasileiro de conservação das tartarugas marinhas que é executado pelo Instituto Chico Mendes.

Se não bastasse os predadores naturais de tartarugas, há um hábito comum entre os habitantes do litoral de consumir os ovos das tartarugas, além de matar para comer as próprias matrizes. É comum encontrar ovos de tartaruga nos bares praieiros servidos como petisco ou tira-gosto. O casco será vendido para fabricação de óculos, pentes, pulseiras e colares, sem qualquer constrangimento.

A tartaruga passou a ser símbolo da tranquilidade, sem pressa de ser feliz, vindo daí a expressão “a passos de tartaruga” referindo-se a alguém que demora a desempenhar alguma tarefa. Talvez seja por isso mesmo que uma tartaruga chega a viver quase 200 anos. Aliás, não dizem por aí que “devagar é que se vai longe”?

E se o homem tivesse esse mesmo comportamento da tartaruga, por acaso ele não viveria mais tempo? Não viveria mais calmo? A vida demoraria mais para passar? Nosso homem moderno vive numa correria desenfreada, correndo atrás do vento sem nada conseguir. Parece que ele quer as coisas feitas para ontem e com isso pressiona as esposas, os empregados, os fornecedores, os vendedores e todos que estão ao seu redor. A vida moderna cobra com isso um alto preço dos corredores indiscriminadamente. A pressão sanguínea sobe, a pulsação se acelera, o estômago começa doer, a cabeça parece inchada e a vida vai se encurtando. Muitos homens bem-sucedidos morrem cedo vítimas da correria da vida moderna.

Todos recebem a mesma quantidade de tempo para viver, 24 horas por dia, não precisa correr e não precisa parar. Vai vivendo naturalmente e curta porque a vida é curta. Dizem que “a gente só leva da vida a vida que a gente leva”. Observar uma tartaruga, pode ajudar a repensar a vida. Da próxima vez que você tiver a oportunidade de observar uma tartaruga, pare e olhe firmemente para ela e na sua mente pergunte a si mesmo o seguinte: “De que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? Ou que dará o homem em troca de sua vida?” (Mat.16:26). Quando vamos comer queremos comer depressa, como se alguém fosse roubar nossa comida. Às vezes nem mastigamos adequadamente. Quando estamos dirigindo o carro queremos pisar fundo. O carro já está na última marcha e nós estamos procurando uma 6ª marcha para correr mais. Se o telefone tocar, a gente larga tudo e corre para atender. Tudo pode ficar para trás, o telefone tem que ser atendido depressa. A própria vida já um vento que passa ligeiro, logo, por que correr com tudo que se faz? Nessa vida de uma corrida desenfreada nós não paramos para pensar, para ler, para orar, para viver a vida com a família e de repente o tempo passou e a gente nem viu. Só tome cuidado para não deixar passar a oportunidade de se reconciliar com Deus e com as pessoas. Faz parte do preparo para o céu.

 

Os comentários estão encerrados.