Meditação diária de 22/10/2020 por Flávio Reti – Tesoura
22/10/2020
Comentários da Lição 04 (4º Trim/2020)
23/10/2020

Meditação diária de 23/10/2020 por Flávio Reti – Teste do Pezinho 

23 de outubro

I Samuel 2:9  “Ele guardará os pés dos seus santos…”

Teste do Pezinho 

Em 1961, bem recente, o médico microbiologista americano, Robert Guthrie, propôs fazer um teste de triagem em todos os recém nascidos para verificação da deficiência de uma enzima denominada hidroxilase de fenilalanina que provoca prejuízos irreversíveis no desenvolvimento mental da criança. Seu teste era a coleta de uma gotinha de sangue extraída do calcanhar do bebê através de um pedaço de papel filtro que depois seria analisado em laboratório. Sua proposta foi bem recebida e logo adotado e recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) a todos os países membros, inclusive o Brasil, tornando o teste obrigatório em todas as maternidades do país. Aqui no Brasil o teste de Guthtrie ficou conhecido como teste do pezinho e expandido para diagnosticar outras doenças como fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, hemoglobinopatias, fibrose cística, entre outras doenças hereditárias. O teste que deve ser feito entre o terceiro e o quinto dia de vida do bebê é considerado simples, mas que pode detectar doenças congênitas futuras relacionadas a distúrbios do metabolismo e infecções perfeitamente previsíveis através de uma gotinha de sangue retirada do calcanhar.  A versão básica do teste do pezinho que está disponível no sistema público de saúde do Brasil detecta apenas uma meia dúzia de doenças possíveis, mas em países mais desenvolvidos o mesmo teste detecta até cinquenta doenças possíveis, entre elas a surdez genética. Pensando bem, o teste do pezinho, através de uma picada dolorida de agulha no calcanhar do seu bebê, é uma grande prova de amor, porque através desse ato você estará poupando a criança, seu filho ou filha, de doenças futuras tratáveis. Você percebe alguma semelhança no fato de Deus entregar seu filho Jesus para sofrer na cruz a fim de salvar o homem para lhe dar a vida eterna? A dor infligida em seu filho é para salvá-lo de possíveis doenças, ao passo que a dor infligida em Jesus foi para poupar-nos de possível morte eterna. Em ambos os casos a dor infligida é a solução, mas não deixa de ser uma grande prova de amor. A criança pode nascer aparentemente saudável, mas algumas condições poderão surgir mais tarde, mesmo que não haja histórico familiar e são doenças evitáveis. Semelhantemente, as pessoas podem não aparentar ser grandes pecadoras, mas os pecados se desenvolvem e mais tarde poderão afetar a vida espiritual. Por isso é necessário que tudo seja detectado com antecedência para que tanto a criança como o adulto possam ter uma vida normal, a criança livre de doenças e o adulto livre de pecados.

Os comentários estão encerrados.