Meditação de Pôr do Sol 22/02/2019 por Eliane de Lima Marques
22/02/2019
Meditação diária de 24/02/2019 por Flávio Reti – Johann Ambrosius Bach
24/02/2019

Meditação diária de 23/02/2019 por Flávio Reti – Wilson Simonal de Castro

23 de fevereiro

Provérbios 23:31  “Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente”

Wilson Simonal de Castro

Você já viu alguém ser apelidado de Simona, rei da pilantragem? Pois é, isso foi verdade com Wilson Simonal, um cantor brasileiro da década de 60. Ele chegou a ser o apresentador de programas de televisão na antiga TV Tupi e mais dois programas na Rede Record e garoto propaganda da Shell vindo a ser o detentor do maior contrato de publicidade já feito por um brasileiro. Foi um grande cantor, possuidor de uma bela voz, de técnica e qualidade vocal esmeradas, mas de repente sentiu sua carreira entrando em colapso quando seu nome apareceu nos relatórios do antigo DOPS no qual ele era acusado, processado e condenado de tortura e sequestro de seu próprio contador Raphael Viviani. De lá para frente ele caiu no ostracismo e se viu como pária da música popular brasileira. Não deixou de ser um grande golpe para quem chegou a ser eleito um dos quatro melhores cantores brasileiros com seu nome publicado na revista Rolling Stone Brasil na época. Uma de suas músicas que todos conhecem até hoje é PAÍS TROPICAL, a que também lhe deu maior sucesso financeiro e comercial. Mas, na vida de todos sempre existe um MAS, decorrendo o tempo e a idade senil chegando, Simonal foi se entregando à bebida até se tornar realmente um alcoólatra. Sem perceber, o álcool foi anestesiando suas cordas vocais e ele forçando cada vez mais não percebeu que estava perdendo a voz, seu mais importante instrumento de trabalho. A depressão se instalou e daí para frente ele marchou para seu final, sendo seu último show em 25 de março no ano 2.000, o mesmo ano de seu falecimento. Foi-se um mito da cultura pop brasileira.

Na vida de todos sempre há momentos altos e baixos, tempos de sucesso e de algum fracasso, e a arte da vida pede que nesses momentos o homem aja com equilíbrio, não se deixando abater. Mesmo porque, manter a fé, o entusiasmo, a esperança, exige de qualquer um uma boa dose de vivência espiritual. Nas horas difíceis, quem não conta com Deus para abençoar e dirigir sempre sofre mais. Mas Simonal não buscou em Deus sua âncora da vida, ele buscou no álcool e esse foi o começo de seu fim. Seu sucesso, sua glória, sua influência passaram para a eternidade para nunca mais voltar. A mim me parece que a vida de Simonal não foi de todo em vão, porque agora nós podemos ler sobre ele e tentar corrigir alguma coisa que ele não soube corrigir, sua vida que estava entrando em decadência. Que sejamos sábios o suficiente para saber tomar decisões acertadas mesmo entre os embates da vida. E o melhor acerto sempre foi e sempre será escolher andar com Deus em todos os momentos, bons ou maus. O profeta Isaías, falando da misericórdia do Senhor, afirma que “teus ouvidos ouvirão as palavras de quem está por detrás de ti dizendo: Este é o caminho, andai por ele” (Is.30:21). Deus já pavimentou o caminho da felicidade, basta agora andar por ele sem desviar para os lados. Basta seguir reto e em frente que não haverá como errar o caminho.

Os comentários estão encerrados.