Ministério Publicações
21/08/2020
Feliz Semana
22/08/2020

Meditação diária de 22/08/2020 por Flávio Reti – Pesos e medidas

22 de agosto

Provérbios 20:10  “O peso fraudulento e a medida falsa são abominação ao Senhor”

Pesos e medidas

Todos sabem que o sistema de pesos e medidas nem sempre foram uniformes para todos os países. A confusão era tanta que dificultava o comércio entre as nações e isso já vinha de longa data. Há 4.000 anos os Egípcios usavam o palmo e o cúbito. Apenas em 1960 é que, depois de inúmeras reuniões e convenções se chegou a uma conclusão, com representação de quase todos os países, a um sistema internacional de unidades. O que eles decidiram, depois de 11 reuniões em conferência, em 1960, foi um meio de padronizar as unidades usadas em todos os países presentes a fim de ser possível facilitar as transações comerciais. Assim sendo, ficou decidido e definido uma unidade para cada grandeza, assim: Para o tempo a unidade seria o segundo; para medida de massa seria o quilograma; para medida de extensão seria o metro; para corrente elétrica seria o Ampere; para intensidade luminosa seria o lúmen, ou vela; para líquidos seria o litro. Depois, obviamente viriam os múltiplos e os submúltiplos dessas unidades básicas. Há ainda outras unidades mais específicas que não são do domínio da população em geral, mas de áreas definidas como medida de pressão, de velocidade, de força, de densidade, de temperatura, de potência. Para todas as medidas convencionou-se deixar um modelo padrão em Paris e criar em cada país um órgão fiscalizador. Aqui no Brasil é o INMETRO que supervisiona o sistema de pesos e medidas. Existem muitas e diferentes coisas que podem ser medidas e pesadas e essas coisas são chamadas de grandeza para efeito de cálculos. Então, entenda: O que é medir? Medir é comparar uma grandeza com outra grandeza que foi adotada como padrão, nesse caso o metro e seus múltiplos e submúltiplos. O mesmo se dá com o pesar, é comparar a massa de uma grandeza com outra grandeza convencionada e adotada como padrão, nesse caso o quilo. Por certo já ouviu falar em escambo, que era a troca de mercadorias entre os interessados, mas sem nenhum padrão e nenhum método, tudo na base da confiança entre os produtores. O produtor de feijão podia trocar por açúcar, produtor de farinha trocar por sal e assim girou o comércio durante milênios. É por isso que a bíblia manifesta uma certa preocupação com o peso justo desde os dias de Moisés, quando Deus orientou o seguinte: “Não terás na tua bolsa pesos diferentes, um grande e um pequeno” (Deut.25:13, 15). Lá na frente, Salomão, como rei de Israel, declara: “Balança enganosa é abominação para o Senhor, mas o peso justo é o seu prazer” (Prov.11:1). Como se vê, era necessário que se adotasse um sistema padrão para evitar trapaças e facilitar o comércio. E assim Deus poderá abençoar os honestos e descobrir os desonestos, embora o padrão de Deus não seja o nosso.

Os comentários estão encerrados.