Meditação Diária de 20/05/2017 por Flávio Reti
20/05/2017
Novo Encontro
21/05/2017

Meditação Diária de 21/05/2017 por Flávio Reti

Dia da língua Nacional

“O Senhor Deus me deu a língua dos instruídos, para que eu saiba sustentar com uma palavra o que está cansado; ele me desperta todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que eu ouça como discípulo” Isaías 50:4

Conhece-se como língua nacional a língua falada por um povo que tem seu território e seu governo organizado. Por isso mesmo ela é vista como a língua oficial do país, embora pertença ao povo e não ao país. A língua de um povo funciona também como sua identidade política e cultural.

Pode acontecer de uma língua ser oficial e não ser nacional. Pode-se verificar isso no Paraguay onde a língua oficial é o Espanhol, mas a língua nacional é o Guarany. Também na Espanha, os bascos tem a língua oficial o Espanhol, mas falam um dialeto próprio, o basco. Os americanos que falam o Inglês, eles não tem uma língua nacional, falam uma língua emprestada da Inglaterra. Nem sempre a língua nacional coincide com a língua oficial. Brincando com um americano, certa vez, ele disse que no céu todos os americanos vão falar Inglês e ao perguntar por que, ele respondeu: Porque os americanos não conseguem aprender outra língua. Dizem que o homem que fala duas línguas vale por dois e assim sucessivamente. O dom da fala é uma das características humanas que nos distingue dos demais animais. Há uma história secular, nada confiável, mas que ilustra bem o poder da palavra: Certa vez um Sultão sonhou que havia perdido todos os dentes. Ele acordou assustado e mandou chamar um sábio para que interpretasse o sonho.

-Que desgraça, Senhor, exclamou o sábio. Cada dente caído representa a perda de um parente de Vossa Majestade!

-Mas que insolente, gritou o Sultão. Como se atreve a dizer tal coisa?!

Então, ele chamou os guardas e mandou que lhe dessem cem chicotadas. Mandou também chamar outro sábio para interpretar o mesmo sonho. O outro sábio chegou e disse:

-Senhor, uma grande felicidade vos está reservada! O sonho indica que ireis viver mais que todos os vossos parentes!

A fisionomia do Sultão se iluminou e ele mandou dar cem moedas de ouro ao sábio. Quando este saía do palácio, um cortesão perguntou-lhe:

-Como é possível? A interpretação que você fez foi a mesma do seu colega. No entanto, ele levou chicotadas e você, moedas de ouro!

-Lembre-se sempre, respondeu o sábio, Tudo depende da maneira de dizer as coisas.

E esse é um dos grandes desafios da Humanidade. É daí que vem a felicidade ou a desgraça, a paz ou a guerra. A verdade deve ser dita sempre, não resta a menor dúvida, mas a forma como é dita é que faz toda a diferença.

Deus, muitas vezes, usou seus profetas para distribuir sua palavra. Ele não ditou as palavras, mas deu a inspiração para os poetas falarem aquilo que ele desejava fosse dito ao seu povo. E Deus, ao longo da história, falou de muitas maneiras e finalmente, com a vinda de Cristo à terra, ele falou pessoalmente deixando muitas instruções, o suficiente para que ninguém se perca pelo caminho neste mundo confuso, com muitas vozes. Hoje graças a Deus, temos a palavra profética, que segundo o apóstolo Pedro, “nenhuma profecia foi jamais dada por vontade humana, mas os homens santos falaram da parte de Deus movidos pelo Espírito Santo” (II Ped.119-21). Quando Deus fala, cale-se o homem, emudece toda vanglória de falar e de se fazer ser ouvido. Deus fala, o homem ouve.

“Cristo poderia ter ocupado o mais elevado lugar entre os mestres da nação judaica, mas preferiu levar o evangelho aos pobres. Ia de lugar a lugar, para que os que se achavam nos caminhos e atalhos pudessem ouvir as palavras da verdade. Na praia, nas encostas das montanhas, nas ruas da cidade, nas sinagogas, Sua voz se fazia ouvir explicando as Escrituras. Muitas vezes ensinava no pátio do templo, a fim de os gentios Lhe poderem ouvir as palavras” (CBV. P.20). A palavra de Deus deve ser ouvida de uma maneira ou de outra. Deus tem muito o que falar a nós e nós temos muito que ouvir. Permita que ele fale hoje ao seu coração.

 

Os comentários estão encerrados.