Meditação diária de 20/10/2020 por Flávio Reti – Televisão
20/10/2020
Meditação diária de 22/10/2020 por Flávio Reti – Tesoura
22/10/2020

Meditação diária de 21/10/2020 por Flávio Reti – Termômetro

21 de outubro

Romanos 12:18  “Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens”

Termômetro

A noção de temperatura não deve ser nova, porque desde que o mundo é mundo Primavera, Verão, Outono e Inverno sempre existiram e o homem teve que aprender a conviver com as variações de temperatura. Ele só não sabia quantificar isso, quanto de frio ou quanto de quente, até que chegou aos dias de Galileu Galilei, o matemático, físico e astrônomo a quem se atribui a invenção do termômetro em 1592, noventa e dois anos depois do descobrimento do Brasil. Para medir a temperatura era necessário algum material que variasse com a variação da temperatura e Galileu descobriu isso usando um tubo cheio de água e ar e à medida que o ar aquecido dilatava ele elevava o nível da água dentro do tubo no qual ele fez uma escala numérica para observação. A base da inspiração estava lançada, dali para frente era só descobrir elementos naturais com alto coeficiente de dilatação com aumento da temperatura dentro de um tubinho de vidro para que fosse possível ver a variação na escala. Com isso se convencionou que a temperatura fosse medida em graus e esse padrão eles encontraram no mercúrio que é um elemento metálico, em estado líquido naturalmente e grandemente sensível às variações de temperatura e a escala foi determinada ser a escala de Celsius tendo como base o congelamento da água como sendo zero graus e a ebulição da mesma água como sendo 100 graus no nível do mar. Como sempre, depois da onça morta todo mundo é caçador, surgiram outras escalas como a escala de Fahrenheit, a escala de Kelvin e outros aventureiros. Mas a escala de Celsius ainda é a mais usada em quase todos os países do mundo. Entenda que o tubo no qual o mercúrio se dilata tem espessura capilar para mostrar grande deslocamento mesmo com pouquíssima variação da temperatura. Bem, pode-se medir a temperatura se é fria ou se é quente, mas até hoje ninguém conseguiu inventar algo que medisse não a temperatura, mas o “calor humano”, aquela qualidade que existe nas pessoas de ser empática ou antipática com as demais pessoas ao seu redor. Toda pessoa gosta de ser acolhida, bem tratada, adaptada ao grupo e essa aceitação ou rejeição nós chamamos de “calor humano”, algo que qualquer um sente na presença de outrem. A grande arte da vida é conviver bem com os demais, porque o mundo é nosso, o espaço pode ser utilizado por todos se houver empatia no grupo. Se um dia vamos viver juntos no céu, é óbvio que precisamos aprender desde já essa grande arte da vida: Viver bem com as pessoas, aquecidos com o calor humano, independente do que marca o termômetro lá fora.

Os comentários estão encerrados.