Meditação diária de 20/01/2019 por Flávio Reti – Euclides da Cunha
20/01/2019
Meditação diária de 22/01/2019 por Flávio Reti – Charles Stratton
22/01/2019

Meditação diária de 21/01/2019 por Flávio Reti – Lindomar Castilho

21 de janeiro

Provérbios 14:12  “Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele conduz à morte”

Lindomar Castilho

O nome verdadeiro dele não era Lindomar Castilho, esse era o nome artístico porque ele era um cantor e instrumentista da música popular brasileira. Seu verdadeiro nome era Lindomar Cabral, nascido em Santa Helena de Goiás, em 1940, e se tornou conhecido por todo o Brasil cantando na televisão músicas que se tornaram muito populares na década de 70. Ele chegou a iniciar a faculdade de direito, mas prestou concurso e trabalhou na secretaria de Segurança Pública de São Paulo. O diretor da gravadora Copacabana um dia o viu cantar na casa de um compositor, seu amigo, e o convidou para gravar um disco porque ao ouvi-lo gostou da sua voz, mudando lhe o nome para Lindomar Castilho, artisticamente mais atraente. Em seguida ele deslanchou, construiu uma carreira promissora se tornando um dos grandes vendedores de discos que chegaram a ser lançados simultaneamente no Brasil e nos Estados Unidos. Casou-se com Eliana de Grammont que também estava no ambiente da música, mas por motivos de ciúmes, desconfiança de traição, ele assassinou a esposa com apenas dois anos depois de casados. Assim que se casaram ele exigiu que ela deixasse a carreira musical para se dedicar unicamente ao lar e aos cuidados de uma filha de nome Liliane. Na verdade o casamento não durou muito tempo devido ao alcoolismo que motivava sessões de ciúmes e brigas constantes entre o casal e Eliana decidiu pedir a separação, o que Lindomar não aceitou, levantando ainda mais suas suspeitas de traição. Três meses depois de separada, quando Eliana estava cantando em um café, no bairro da Bela Vista, em São Paulo, Lindomar se aproximou pelas costas e disparou cinco tiros matando Eliana e ferindo o violista que a acompanhava. Ele foi preso em flagrante e condenado a 12 anos prisão. Assim se apagou aquele que era um expoente na música popular brasileira e hoje vive sozinho, longe da vida artística e musical, no interior de Goiás.

Semelhante a Lindomar, quanta gente não enterra para sempre a projeção de sua vida por coisas fúteis, por sentimentos negativos e irracionais, tendo que amargar uma existência sombria pelo resto da vida além de uma consciência acusada que lhes rouba a paz. O Homo sapiens, como é chamado, muitas vezes se esquece que foi criado por Deus para viver uma vida próspera, útil, produtiva, feliz no seio da família, calmo com sua consciência e confiante na palavra de Deus e acaba cometendo as maiores asneiras criando situações tão difíceis que nunca mais consegue se reanimar, levantar a cabeça. Mas felizmente, a esses Jesus também convida: “Vinde a mim todos que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei” (Mat. 11:28). O alívio de Jesus é bem vindo nessas horas de angústia e solidão. Nem tudo está perdido, ainda há esperança, se tão somente aceitarmos o sacrifício de Jesus e se dispor em viver uma vida consagrada à sua vontade. Deus a ninguém exclui da possibilidade de salvação e seu perdão está disponível a todos que o aceitarem.

Os comentários estão encerrados.