Meditação diária de 19/04/2021 por Flávio Reti –Quando é a melhor idade para a criança ir pra escola?
19/04/2021
Culto de Oração
20/04/2021

Meditação diária de 20/04/2021 por Flávio Reti -Quando alguém diz “bem feito”, qual é a sua resposta?

20 de abril

Quando alguém diz “bem feito”, qual é a sua resposta?

Salmos 25:4  “Faze-me saber os teus caminhos, Senhor, e ensina-me as tuas veredas”

Na vila onde nasci e cresci até os 15 anos havia no meio de uma praça uma cadeia abandonada. Com o reboco todo descascado, sem janelas, grades ou portas e nós costumávamos brincar por lá. Certo dia passou por lá uma família de andarilhos, uma mãe e cinco filhos, e não tendo onde pernoitar, se arrancharam na cadeinha abandonada. E lá foram ficando nos dias seguintes. Improvisaram tapumes para a janela, uma porta precária que ficava uns 20 centímetros alta do piso. Na frente da porta, para se entrar na cadeinha havia uma escada com uns seis a oito degraus. E as pessoas da vila se solidarizavam dando alimento, roupas e tudo mais. Assim, aquela família, sem pai, foi ficando e vivendo ali. No decorrer dos dias a mãe ficou doente, o que se espalhou como sendo “barriga d’agua” e em pouco tempo ela faleceu. Muita gente se juntou na frente da cadeínha abandonada para ver o cadáver enquanto algumas mulheres, segundo o costume do interior, davam banho na defunta. Eu também estava por lá e curioso como os demais, para que abrissem a porta para visitação. Irreverente e apressado, eu me ajoelhei na escada e fiquei olhando por baixo da porta, pelo espaço entre a porta e o piso e via quando as mulheres lavavam a defunta, ergueram-na toda lisa de sabão e colocaram em cima de uma mesa precária. Entretido com o que estava vendo, não percebi que outra mulher precisava jogar fora a água suja, mas não podia abrir a porta por causa do público ao redor, então, ela, sem titubear jogou a baciada de água suja de defunto por baixo da porta. E quem estava ali olhando por baixo? Tomei um banho com água de defunto! As mulheres ao redor ao virem aquilo gritaram quase em coro “bem-feito”. A minha reação foi de jogar pedra nelas e em seguida fui me lavar no rio que passava nos fundos da vila. Mas essa expressão é usada para indicar a opinião de quem fala que o mal foi merecido, bem merecido, e afirma que a recompensa foi bem paga, bem feita. Indica uma certa satisfação pelo mal sucedido a alguém. Lembrei-me então do comportamento de satanás que se alegra com o mal feito às pessoas sempre que elas erram o bom caminho e como entristece a Deus sempre que um de seus filhos se desvia do bom caminho. Por isso Isaías está cheio de razões quando diz “Este é o caminho, nadai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda” (Isaias 30:21).

Os comentários estão encerrados.