Meditação diária de 18/11/2017 por Flávio Reti
18/11/2017
Meditação diária de 20/11/2017 por Flávio Reti
20/11/2017

Meditação diária de 19/11/2017 por Flávio Reti

19 de novembro
Dia da bandeira nacional

Isaías 49:22   “Assim diz o Senhor Deus: Eis que levantarei a mão para as nações e ante os povos arvorarei a minha bandeira…”

Não sei se você já teve a oportunidade de viajar para o exterior e de repente você vê nalgum lugar a bandeira do Brasil. Aquela sensação de perdido, deslocado, aéreo, desaparece na hora e você se sente no seu habitat. A bandeira brasileira faz toda a diferença. Nossa bandeira, como você a conhece hoje, foi criada em 1889, quando foi instaurada a república no Brasil. Na confecção de uma bandeira sempre há por trás uma série de simbologias. Por isso mesmo existem bandeiras que simbolizam times de futebol, de torcidas organizadas, bandeiras das cidades, dos estados, de instituições religiosas e de empresas comerciais. Sabe-se que nas guerras as bandeiras foram usadas para agrupar seus soldados. Atualmente, toda nação tem uma bandeira chamada de nacional e que representa a soberania e dá identidade, dá unidade ao seu povo.  E você sabia que quando uma bandeira nacional fica velha, imprestável, por lei ela não pode ser descartada como um outro pedaço de pano qualquer? Ela deverá ser incinerada em um ato público com honras e devoção como se faria a um chefe de estado morto. A corporação se reúne, toca-se o clarim agudo e estridente, som de luto, arrea-se a bandeira e respeitosamente ela é incinerada. Outra bandeira nova é colocada no lugar e uma salva de palmas e tiros são disparados para saudar a nova bandeira. Coisas do civismo.

Bandeira também pode ser entendida como alguma coisa simbólica, numa linguagem figurada. Dizemos que somos cristãos sob a bandeira ensanguentada do príncipe Emanuel. Não há bandeira física alguma, o que há é a concepção de que estamos agrupados sob as ordem e orientações de Jesus. Bandeira também pode ser entendida como missão. É quando dizemos que devemos manter desfraldada a bandeira do evangelho para todos os povos.

Enquanto falamos em bandeira de Cristo, bandeira do evangelho, Ellen White fala de uma bandeira negra do príncipe das trevas. Se, como dissemos, uma bandeira carrega um simbolismo, o que significaria uma bandeira negra? Sem cores, sem design, sem vida, sem significado? Não, ela também tem um significado. Posso entende-la como escuridão de compreensão, símbolo de morte, negror da ausência de luz, objetivos escusos, tristeza, destruição, um exército do mal sob ela. Há várias interpretações para uma bandeira negra

Bem, se Cristo tem uma bandeira, ele tem também um exército no qual nós estamos alistados. E se somos soldados do exército de Cristo, devemos seguir as ordens emanadas de nosso comandante, ele próprio, Cristo, o vencedor em todas as batalhas.

Eu me lembro de ter visto, na maioria das casas dos americanos, uma bandeirola semelhante à bandeira nacional americana, apenas em tamanho menor. Era indicativo de que naquela casa morava uma família patriota, de elevado civismo, comprometida com o sucesso da sua nação. Este é ponto: Se ostentamos a bandeira de Cristo, devemos, de igual modo, demonstrar dependência, dedicação, comprometimento com o sucesso da causa de Cristo neste mundo. A bandeira de Cristo, do evangelho deve sempre ser estendida para demonstrar interesse nessa obra, Os mais novos, especialmente, devem ser despertados para a cooperação no avanço dessa obra que culminará com a vinda de Jesus. Acontece que satanás e seus comandantes estão fazendo esforços decididos para alistar os jovens da nossa igreja sob uma bandeira negra de seu exército cujo objetivo é arruinar ainda mais o mundo em que vivemos e, se possível, nos levar a perdição. Não é a bandeira que vai nos salvar ou nos pôr a perder, mas quem está por trás dela, o comandante desse exército formidável que marcha para o céu. Quando pensar em bandeira, pense na bandeira do evangelho, do exército de Cristo, que marcha para o céu e pense também na bandeira negra, do príncipe das trevas, que conduz seu exército para a ruína eterna. Temos todos um céu a ganhar e um inferno a evitar. Uma bandeira significativa à nossa frente pode nos orientar na marcha e juntos desfilaremos rumo ao céu.

Os comentários estão encerrados.