Passeio ciclístico e café da manhã com os Seven Bikers
18/07/2019
Agenda da Semana de Oração: A trilha
19/07/2019

Meditação diária de 19/07/2019 por Flávio Reti – Francis Albert Sinatra

19 de julho

Salmos 16:5  “Tu, senhor, és a porção da minha herança e do meu cálice, tu és o sustentáculo do meu quinhão”

Francis Albert Sinatra

Esse camarada sabia ser popular! Foi cantor, ator, produtor e escolheu um nome bem popular e comercial, Frank Sinatra, o mais influente e o mais popular cidadão americano do século XX, recordista de venda de todos os tempos alcançando mais de 150 milhões de cópias vendidas. Por estranho que pareça, os pais de Frank Sinatra eram italianos e seu pai, Antonio Martino Sinatra era analfabeto total, mas era um boxeador que imigrou para Nova York para trabalhar numa fábrica de lápis. Frank Sinatra teve a sorte de ser filho único e iniciou sua carreira musical lá pela década de 1940 cantando um ritmo denominado Swing (em Inglês quer dizer balanço). Sinatra gravou muita coisa, representou no cinema, realizou turnês no seu país e pelo mundo inteiro, inclusive no Brasil cantando com Tom Jobim. Foi casado quatro vezes e possui duas estrelas na calçada da fama em Hollywood, uma pelas músicas que gravou e outra pela participação na TV Americana. O jovem Sinatra participou de mais de cinquenta filmes. Logo depois que esteve no Brasil ele gravou “Garota de Ipanema” na versão em Inglês “The girl from Ipanema”. No show que apresentou no Brasil ele conseguiu reunir 170 mil pessoas e entrou para o livro dos recordes (Guines Book) como o maior em número de pessoas. Ele gostava de inovar, chegou a fazer dueto com ele mesmo via satélite. Fazendo uso da mais sofisticada tecnologia.

Mas uma pergunta fica agora para sua resposta: Onde está Frank Sinatra hoje? Ele já morreu em 14 de maio de 1998 e com dez anos sepultado, certamente já virou pó e podemos dizer seguramente que “foi-se a glória”. Com essas considerações sobre a vida dele, qualquer um chega logo à conclusão de que a glória do homem é passageira, não dura por muito tempo. Certa vez passando pelo cemitério de Bauru, eu me deparei observando uma lápide onde estava escrito o seguinte: “Não fale alto, não seja orgulhoso, a vida acaba aqui”. Para quem tem um pouquinho de conhecimento das escrituras sagradas, certamente sabe que a vida não termina ali. A morte é apenas uma etapa da vida. Ali todos vão aguardar a volta de Jesus para definir a situação de cada um. Depois da morte há ainda muita coisa para acontecer. O juízo investigativo no céu vai continuar até que todos os nomes tenham passado diante do juiz de toda a terra, Jesus vai tirar suas vestes sacerdotais e vestir as vestes judiciais, vai descer a esta terra, os mortos em Cristo haverão de ressuscitar, Jesus vai levar os redimidos para o céu e só depois a morte será um fim de tudo para os que não subirem ao céu. Para os salvos será o começo da eternidade, porque assim que saírem dos túmulos, a primeira coisa que verão será a face de Jesus com as palavras: “Vinde benditos de meu pai, possui por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mat.25:34).

Os comentários estão encerrados.