Feliz Semana
18/04/2020
NOVO ENCONTRO – Hoje às 19h / Ao Vivo
19/04/2020

Meditação diária de 19/04/2020 por Flávio Reti – Cunhagem

19 de abril

Jó 15:31  “Que ele ( o homem) não se iluda em confiar no que não tem valor” (NVI)

Cunhagem

Cunhagem, falando de moedas, é um processo de estampar de ambos os lados da moeda um desenho e uma identificação e para isso tem-se que obrigatoriamente usar um cunho ou uma prensa. Desde a criação das moedas, em lugar do escambo de mercadorias, as moedas precisavam ter uma identificação e um valor agregado. Então, o rei, ou o imperador fazia cunhar numa das faces o valor e na outra face da mesma moeda sua estampa para atribuir valor e credibilidade à moeda, que inicialmente era de ouro ou de prata. Com a inflação, elas passam a ser de outro metal menos nobre, como as que circularam no Brasil feitas de alumínio, de 1956 a 1961. Há casos que o valor de uma moeda é menos do que o custo de produzi-la e com isso ela sai de circulação, como estamos vendo agora no Brasil com as moedas de 1 centavo e de 5 centavos. A história da cunhagem tem muito a ver com a evolução da metalurgia e os processos e técnicas de produzi-las. Não há dúvida de que, no início, lá atrás na antiguidade, elas eram cunhadas manualmente e artesanalmente por meio de um punção em cima de um disco metálico aquecido em cima de uma bigorna e pressionadas com um martelo. Mas assim só era possível cunhar apenas um lado da moeda, porque se fosse tentado cunhar o outro lado, fatalmente danificaria a primeira cunhagem. O problema foi resolvido com a evolução do método, criando-se uma prensa com desenhos de ambos os lados, em baixo na bigorna com baixo relevo e em cima com o punção preso na alavanca da prensa. Mas pode pensar que era um processo lento, feito na base de força humana e só lá pelo século XVI foi inventado um tipo de prensa com o nome de balancim facilitando um pouco a produção de moedas cunhadas de ambos os lados com um pouco menos de esforço humano. Com a revolução Industrial vieram as prensas a vapor e atualmente as prensas elétricas que automaticamente despejam moedas prontas para o mercado. Segundo os historiadores, a cunhagem, o processo pelo qual as moedas são feitas, surgiu no ano 700 antes de Cristo na Lídia, hoje território Turco. A bíblia afirma que os servos de Deus terão o nome do “cordeiro”, isto é, de Jesus, gravado nas suas testas, quem sabe para testificar de que somos propriedade de Cristo (Apoc.22:4). Se uma moeda com o cunho real tinha preço, nós com o nome de Cristo teremos ainda muito mais valor.

Os comentários estão encerrados.