Comentários da Lição 8 (2o Trim/2017) por Flávio Reti
17/05/2017
Doação de Sangue
18/05/2017

Meditação Diária de 18/05/2017 por Flávio Reti

Dia da luta antimanicomial

“O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução” Provérbios 1:7

Ao ler o motivo do dia acima, você percebeu que tem a ver com manicômio. Manicômio era o nome bonitinho que se dava aos hospitais onde se internavam os loucos que lá ficavam isolados da civilização. Para o governo era um “hospital” psiquiátrico, que deveria ser especializado no tratamento de doenças mentais, transtornos mentais, mas que na prática era um isolamento seguido de maus tratos. Lá muitos doentes se matavam ou apodreciam num pátio semelhante ao pátio de uma penitenciária.

Um francês de nome Philippe Pinel foi quem disparou um movimento conhecido como antimanicomial contra o tratamento dado nos “hospitais” chamados de psiquiátricos. Ficou famoso no Brasil o “hospital” de Franco da Rocha, no estado de São Paulo, também conhecido como hospital do Juqueri. Era mais um campo de concentração do que um hospital. Em 1958 chegou a ter mais de 14 mil internados, desse total de doentes 3.520 eram crianças. Em 2001 a OMS (Organização mundial de Saúde) convocou os países desenvolvidos a encerrar os hospitais psiquiátricos, a desenvolver alternativas para que os doentes permanecessem nas casas dos parentes próximos, a prestar cuidados individualizados para os doentes realmente mentais e promover a reinserção social.

Na acepção bíblica, louco é quem não faz planos para o futuro com Deus. Os loucos zombam do pecado (Prov.14:9), vivem em rebeldia e desprezam a sabedoria e a instrução. O profeta Jeremias chamou seu conterrâneos de povo louco porque era “um povo insensato” exatamente porque não conhecia a Deus. Dizia ele que era um povo obtuso, nada entendidos, mas que eram sábios para fazerem o mal e que não sabiam fazer o bem (Jer.4:22). Se, do ponto de vista de Jeremias, o povo que não conhecia a Deus e que desprezava a sabedoria era considerado louco, então, muitos de nós temos um pouco de louco dentro de nós. Muitas vezes deixamos de atender a voz de Deus, muitas vezes tentamos fazer as coisas ao nosso modo de ver, obviamente nossa visão não é a mesma de Deus e com isso nos afastamos da fonte da sabedoria. Precisamos aprender e acostumar a convidar sempre a Deus para estar conosco, para estar por perto e para nos ensinar a evitar a insensatez que existe dentro de cada um de nós. Às vezes nossas ações beiram a loucura pelo afastamento da sabedoria de Deus. Nossas ações muitas vezes são um pulo no escuro exatamente porque nossa visão do futuro é obscura e anuviada pela nossa incapacidade de admitir um Deus, Senhor de nossa vida, alguém que pode nos direcionar para objetivos mais nobres do que ficar rastejando no lamaçal da vida. Precisamos abrir os olhos para ver a vida mais altruisticamente e cada vez mais próximos do lar eterno, na presença dos santos anjos e diante da face de Jesus. Acha que é loucura pensar assim? Posso afirmar que não é. Moisés já está no céu, Elias já está no céu, agora a pergunta fica: E nós, quando é que vamos estar no céu? Queira Deus que seja em breve, que ele nos livre da nossa loucura em querer fazer as coisas do nosso jeito. Mas é bom saber que o mundo nos considera, nós os cristãos, loucos porque manifestamos fé em Deus, confiança nas escrituras e esperança de uma vida no céu. Dizem eles que tudo isso é utopia, coisa de louco, de mente fraca. Mas posso assegurar que não é assim como eles pensam. “Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus. Porque está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e aniquilarei a inteligência dos inteligentes. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são” (I Cor. 1:18, 19, 27 e 28). Muitos dos mais eminentes homens do mundo, doutos e estadistas, nestes últimos dias voltarão as costas para a luz porque o mundo por sua própria sabedoria desconhece a Deus” Atos dos Apóstolos, p.242). Não se impressione com a crítica, permaneça nesse caminho, porque o céu é o nosso destino, muito em breve.

Os comentários estão encerrados.