Meditação Diária de 16/05/2017 por Flávio Reti
16/05/2017
Comentários da Lição 8 (2o Trim/2017) por Flávio Reti
17/05/2017

Meditação Diária de 17/05/2017 por Flávio Reti

Dia mundial contra homofobia

“E de um só fez todas as raças dos homens para habitarem em toda a face da terra, determinando-lhes os tempos já dantes ordenados e os limites da sua habitação” Atos 17:26

Se você for pesquisar no dicionário, vai ver que homo significa homem e fobia significa medo, aversão. Acontece que o prefixo homo, na linguagem moderna, passou a significar homem travestido, e uma série de significados e sentimentos negativos em relação às pessoas homossexuais, bissexuais. O termo passou invariavelmente a significar antipatia, desprezo, preconceito, aversão e medo irracional. Para as pessoas do nosso século, a homofobia é vista como um comportamento crítico e hostil, quase igual à discriminação, violência, baseando-se na concepção de que todos que não são heterossexuais são negativos e devem ser evitados. Saiba que existe a homofobia por orientação das religiões, do estado, aliás, a homofobia patrocinada e promovida pelo estado e pelas religiões. De qualquer forma, a homofobia é a intolerância que procura segregar um grande números de pessoas baseada na sua orientação sexual. Em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais como uma violação dos direitos humanos. Em 17 de maio de 2011 o alto comissariado das Nações Unidas criou o dia internacional contra a homofobia, afirmando que ninguém tem o direito de tratar um grupo de pessoas como de menor valor, menos merecedores e menos dignos de respeito por qualquer que seja o motivo.

A bíblia registra um caso curioso de homofobia entre duas tribos de Israel. Os gileaditas estavam lutando contra os efraimitas. Os gileaditas, vencedores do conflito, bloquearam todas as rotas de fuga que passavam pelo Rio Jordão, a fim de evitar que os efraimitas sobreviventes escapassem. Os soldados que vigiavam as rotas de fuga exigiam que todos que passassem por lá pronunciassem a palavras Shibboleth e como os efraimitas não tinham no seu dialecto o fonema \x\, eles só conseguiam pronunciar sibboleth, usando o fonema \s\ e assim eram reconhecidos e executados (Juizes 12:6). Esse truque de usar a linguagem para reconhecer grupos humanos é usado mundialmente para identificar a origem da pessoa ainda hoje. Numa luta entre franceses e italianos, chamada de Vésperas Sicilianas, no século XIII, os franceses eram reconhecidos pela maneira de pronunciar a palavra \ciceri\, um tipo de ervilha seca.

Aqui, mais perto de nós, no sul do Brasil, na revolução de 1923, os uruguaios eram identificados quando eram obrigados a pronunciar a letra \j\ e eles diziam \shôta\ ou a palavra \pauzinhos\ e eles diziam \paucinhos\.

Se, “de um só, Deus fez toda a raça humana, logo, descendemos de uma mesma raiz comum, somos irmãos. E se somos irmãos, somos da mesma família. Então, não temos uma razão para criarmos aversão, fobia contra qualquer um de nossos irmãos. É um aprendizado saber viver com eles sem, no entanto, apoiar ou defender sua posição sexual. Deus os ama como a nós, logo, devemos amá-los também, mas longe de condescender com suas ideologias e tendências. Podemos orar por eles, pedir a Deus que lhes abra os olhos, porque no céu não entrarão assim como estão (Apoc.22:15).

Não há justificativa para a segregação de qualquer natureza. A beleza da vida está exatamente em viver bem com todos, porque é até bonito ver os desiguais agindo iguais. Cada pessoa é única, você já ouviu alguém falar isso, mas somos todos diferentes uns dos outros, e também somos todos iguais porque somos pessoas, somos humanos como todos os demais. O amor de Deus não reconhece diferenças entre os indivíduos, porque todos são pessoas por quem Cristo morreu e a bíblia é bem clara quando ela diz que Deus amou o mundo, a maior comunidade, de tal maneira que deu seu único filho para que todos, novamente a maior comunidade, que nele crerem tenham a vida eterna. Eu creio nisso, e você?

Os comentários estão encerrados.