Comentários da Lição 03 (4º Trim/2020)
16/10/2020
Meditação diária de 18/10/2020 por Flávio Reti – Telefone
18/10/2020

Meditação diária de 17/10/2020 por Flávio Reti – Teflon

17 de outubro

Hebreus 11:3  “Pela fé entendemos que os mundos foram criados pela palavra de Deus”

Teflon

Isso que você conhece com o nome de teflon, aquela pintura salpicadinha que você vê no fundo da frigideira e das panelas em geral, tem, nos meios químicos, um nome um pouco mais complicado: Politetrafluoretileno. É um polímero desenvolvido pela empresa DuPont e descoberto por mera casualidade em 1938 por um engenheiro químico de nome Roy Plunkett. Na verdade é um tipo de resina e a principal característica é ser uma substância inerte, que não reage na presença de outras substâncias também químicas. Não é tóxico, não sofre atrito, é impermeável e portanto ótimo para ser usado em ambientes úmidos. Ele não está somente em frigideiras e panelas, ele está também em roupas, tecidos e em próteses humanas, aquelas que se usam no corpo, porque é bem tolerada pelo organismo. O teflon é mais um tipo de plástico que foi descoberto quando Roy Plunkett fazia experiência com um gás e notou que no cilindro de gás se formava um pó branco e pesquisando posteriormente ele descobriu que se tratava de um polímero diferente com 100.000 átomos de carbono ligados a apenas 2 átomos de flúor e continuando com suas experiências concluiu que ele não se dissolvia facilmente, não era atacado por ácidos e suportava temperaturas de 500 graus. Pelo fato de alguma coisa acontecer por acaso, o homem chega a acreditar que todas as coisas acontecem por acaso e nessas muitas coisas eles incluem a criação do mundo em que vivemos dizendo que ele surgiu por acaso, o que não é verdade. A palavra de Deus, a bíblia, diz claramente que no princípio Deus criou todas as coisas. Então, nada do que se vê, do que existe mesmo que não se veja, nada apareceu no cenário do mundo por acaso. É verdade que alguma coisa o homem descobriu por acaso, como a penicilina, um fungo que proliferou na lâmina mal lavada que Alexander Fleming deixou no laboratório quando saiu alguns dias de férias, e agora o teflon que Roy Plunkett descobriu quando viu o pó branco no fundo do tambor de gás, mas daí dizer que o mundo veio ao acaso à existência é um passo gigantesco demais para ser verdade. Como na história do ateu que desafiava um relojoeiro dizendo que Deus não existe e que o mundo surgiu por acaso. O relojoeiro, pegando um dos relógios disse: “Está vendo esse relógio? Surgiu por acaso”. Ao que o ateu contestou: “Impossível, alguém deve tê-lo feito”. E o relojoeiro acrescentou: “Se um simples relógio não surge por acaso, como afirma você que o mundo, muito mais complexo, surgiu por acaso? Alguém deve tê-lo feito e esse alguém foi Deus”. Assim nós cremos porque assim é, sem contestação, porque é impossível um universo tão vasto surgir do nada. Deus criou, ponto final.

Os comentários estão encerrados.