Meditação diária de 16/06/2020 por Flávio Reti – Hélice
16/06/2020
Meditação diária de 18/06/2020 por Flávio Reti – Hidrômetro
18/06/2020

Meditação diária de 17/06/2020 por Flávio Reti – Helicóptero

17 de junho

Apocalipse 22:12  “Eis que cedo venho e está comigo a minha recompensa, para retribuir a cada um segundo a sua obra”

Helicóptero

É bom relembrar que quem primeiro idealizou um tipo de helicóptero, embora ainda rudimentar, foi o italiano gênio, Leonardo da Vinci, lá no século XV, muito antes do descobrimento do Brasil que se deu em 1500. Ele desenhou, projetou, mas sua criatividade caiu no esquecimento até que os irmãos Wright e Santos Dumont inventassem o avião no século XX. O helicóptero não teve um inventor, porque foram vários que contribuíram na sua criação e demorou tempo no decorrer da história. O primeiro voo bem sucedido se deu em 1907 na França por um tal Paul Cornu, depois em 1920, na Argentina, Raul Panteras Pescaras fez modificações nas pás para melhor controle de voo. Depois, o próximo voo completamente controlado ocorreu na Alemanha, em 1937, com Hanna Reitsch. Em 1941 incrementou o helicóptero inventando flutuadores para um helicóptero aquático, anfíbio propriamente. Em 1950 já se construíram helicópteros para 44 lugares a bordo e que viajavam a 260 km/h. Em pouco tempo ele se tornou um símbolo de poder para empresários e homens ricos e sinal de prestígio dos grandes homens. Mas o interesse maior foi pelas forças armadas de todo mundo que viram nele um ótimo lançador de bombas e adequado para resgate e salvamento em terra e mar, como os modelos Apache. Atualmente ele vem sendo usado como um meio de transporte de luxo e muito utilizado também pelas emissoras de Rádio e Televisão para chegar rapidamente ao local da notícia. Aqui em São Paulo todos conhecem o comandante Hamilton que além de piloto é também jornalista e atua como repórter relatando as ocorrência e dando notícias do transito de São Paulo. Se você parar e pensar, vai ver quanta utilidade tem um helicóptero. Veja: transporte de tropas, combate a incêndios, apoio para alimentação da infantaria, resgate de acidentados, transporte de trabalhadores na plataformas petrolíferas em alto mar, guindaste aéreo, policiamento e vigilância, transportes de bens e valores e outras mais. Em casos de obstrução de estradas e pontes, o helicóptero resolve. São tecnologias diferentes, um helicóptero e um avião comum, a diferença está na possibilidade de manobra, porque um helicóptero pode pairar no ar, subir, baixar, inverter o trajeto, pode decolar e pousar na vertical e pode aterrissar em qualquer pequeno espaço sem necessidade de uma pista de pouso. Quando a gente vê uma máquina dominando o espaço, dá até vontade, como Ícaro, filho de Dédalo, na antiga Grécia, de voar, de dominar o espaço e saber que não fomos dotados com asas para voar decepciona, mas não muito distante vem o dia, na volta de Jesus, que iremos subir para encontrar com o Senhor nos ares (I Tess.4:17). Utopia? Não! Porque o próprio Senhor Jesus prometeu quando disse: “… e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também” (João 14:3).

Os comentários estão encerrados.