Você sabia que o App… #9 Clipes Novo Tempo
15/10/2017
Meditação diária de 17/10/2017 por Flávio Reti
17/10/2017

Meditação diária de 16/10/2017 por Flávio Reti

16 de outubro
Dia mundial da alimentação

Mateus 10:10   “…porque digno é o trabalhador do seu alimento”

Em 2013 o planeta atingiu uma população de 17.2 bilhões de habitantes, embora o ritmo de crescimento populacional venha apresentando redução a cada ano. Mas 17.2 bilhões de pessoas é um número considerado. Chega a hora do almoço e toda essa gente quer comer. De onde vem o alimento para tanta gente? Você já começa achar que é um milagre a terra produzir alimento para tanta gente. Enquanto muitos ficam escolhendo aonde fazer sua refeição, aonde vamos comer, ou o que vamos comer, quase 1 bilhão desses 7.2  bilhões não sabe se vão poder comer amanhã. Vivem uma insegurança alimentar. Isso quer dizer que 1 bilhão de pessoas não tem uma alimentação saudável, de qualidade ou de quantidade suficiente para suprir suas necessidades. Embora a lei de nosso país diga que alimentação é um direito fundamental do ser humano, a prática é que muitas pessoas ainda passam fome no Brasil. Esse dia da alimentação traz assuntos que nos fazem pensar sobre a população carente, sua alimentação, sua nutrição. As organizações que lidam com a fome e a alimentação seguem criando temas para cada ano, alguns deles sugestivos, mas até hoje nenhum deles funcionou a contento: “Alimentação e meio ambiente”, “Luta contra a fome e a desnutrição”, “Sistemas alimentares saudáveis”, esse foi em 2013, “Proteção Social e Agricultura: quebrando o ciclo da pobreza”, esse foi em 2015. O último tema, de 2016, foi “O clima está mudando. A alimentação e a agricultura também”. Muito criativos, muito elegantes, mas a fome ainda grassa pelo país afora. E grassa também pelo mundo todo. Quando alguém se refere à fome no mundo, não está querendo dizer aquela vontade de almoçar, ou de jantar, que as pessoas sentem na hora do almoço ou do jantar. O problema tem a ver com a falta de comida disponível para todas as pessoas por falta de acesso ou de recursos para comprar o alimento. A fome no mundo está relacionada com a situação econômica ligada à miséria que as pessoas sofrem em vários países. A fome já está sendo considerada uma epidemia. Se você nunca sentiu fome, não sabe o que é fome, também não vai saber avaliar a fome das outras pessoas.

Nos dias de Jacó houve fome na terra onde ele habitava, Canaã, e ele e sua família desceram ao Egito. Nos dias de Elias durante três anos e meio em que não houve chuva, a fome se alastrou em Israel. Houve grande fome na terra quando os sírios cercaram Samaria a ponto de esterco de pomba ser vendido a preço de prata (II Re.625). A fome ainda se agravou mais de maneira que as mulheres chegaram a comer seus próprios filhos (II Re.6:28, 29). Mas a fome parece que tem seu lado bom. Ela leva o faminto a clamar por alguma coisa para comer, ainda que seja um pedaço de pão. O jejum, que é a ausência voluntária de alimento, tem também um lado terapêutico. Na revista “Isto é”, n.2448, de 04\11\2016, há um artigo sobre Os Benefícios do Jejum. Nele, a ciência afirma que ficar sem comer por períodos determinados pode ajudar a combater a diabetes, doenças cardiovasculares, epilepsia e até o câncer. Além de emagrecer, diminuir processos inflamatórios, reduzir a pressão arterial e melhora a taxa de açúcar e de gorduras no sangue, a estratégia atua sobre epilepsia, câncer, diabetes, sobre o cérebro, sobre o humor. Mas o jejum é um período sem alimento programado, sabendo que após o período seu alimento será certo. Não comer por não ter o que comer, além de cruel pode trazer prejuízos irreversíveis ao corpo humano. Várias são os sintomas que a falta de nutriente acarreta: anemia ferropriva (carência de ferro), enfraquecimento do sistema imunológico, redução da capacidade física e mental, comprometimento do desenvolvimento dos bebês e dos fetos, aumento de morte materna na grávidas, riscos de hemorragia e de infecção generalizada, cansaço, falta de ar e outras consequências. A palavra de Deus é clara ao dizer que “o Senhor não deixa o justo passar fome” (Prov.10:3). A previsão de Jesus com respeito à condição do mundo nos últimos dias é que haverá fome na terra. “Haverá em vários lugares grandes terremotos, pestes e fomes” (Luc.21:11). Em compensação, disse também Jesus que “aquele que vem a mim nunca mais terá fome” (Jo.6:35). Não temos o que temer, enquanto formos fieis aos princípios de nosso Deus, aliás, ele mesmo prometeu que “aquele que dá semente ao que semeia e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira e aumentará os frutos da vossa justiça” (II Cor.9:10). Nossa água e nosso pão serão certos. Graças a Deus.

Os comentários estão encerrados.