Meditação diária de 15/09/2020 por Flávio Reti – Ralador
15/09/2020
Meditação diária de 17/09/2020 por Flávio Reti – Redes Sociais
17/09/2020

Meditação diária de 16/09/2020 por Flávio Reti – Receptor de satélite

16 de setembro

I Coríntios 2:9  “As coisas que os olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem penetraram no coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam”

Receptor de satélite

É difícil de acreditar, mas a uma altura de 36.000 quilômetros, numa faixa de 250 quilômetros de largura, numa linha imaginária acima da linha do Equador, que aqui pra nós passa sobre a cidade de Manaus, estão centenas de satélites de comunicação e de dados retransmitindo de lá para cá toda informação que é gerada aqui em baixo. Se está difícil para entender, imagine que as informações sobem para o satélite numa frequência de 5.8 a 6.4 gigahertz e descem de lá na frequência de 3.6 a 4.2 gigahertz, isso na chamada banda C que são essas antenas parabólicas grandes de alumínio e sobrem na frequência de14 a 14.5 gigahertz e descem de lá na frequência de 11.7 a 12.2 gigahertz nas antenas tipo Sky de 60 cm. Um hertz é um movimento de vai e vem. Imagine que você colocava um grampo na carteira, lá na escola primária, e fazia dum, dum com ele. Cada vez que aquele grampo ia e vinha fazendo dum dum era um hertz. Agora imagine nossa Rádio Novo Tempo aqui de Nova Odessa irradiando na frequência de 830 quilohertz, isto é o mesmo que dizer que sua antena está vibrando 630 mil vezes por segundo (kilo quer dizer mil), consegue entender? E a Rádio CBN de Campinas irradiando na frequência de 99.1 Megahertz, isto é 99.1 milhão de vezes por segundo. Complicou? Então pense em um sinal de satélite descendo de lá na frequência de 12 gigahertz por segundo, isto é, vibrando na frequência de 12 bilhões de vezes por segundo. Parece impossível que alguma coisa possa vibrar nessa frequência, a gente não quer entender isso, mas a realidade está aí e para receber esse sinal nessa frequência temos os receptores de satélite, esse aparelhinho que fica aí do lado da sua televisão, seja da Sky, da Claro ou da Vivo, é a mesma tecnologia. Se essas coisas inventadas por homens já são difíceis de entender, imagine o que terá Deus reservado para nós no céu? Lá teremos a eternidade inteira para desenvolver nossas capacidades e pensar com a mente limpa de maus conceitos e de maus aprendizados que adquirimos por aqui. Livres da mortalidade viveremos para sempre com o pensamento livre para criar coisas que hoje estão além da nossa imaginação. Eu às vezes brinco que lá no céu quero desenvolver uma maquininha para descascar tomates, porque não gosto da casca do tomate e vira brincadeira ao redor da nossa mesa. Mas pode estar certo de que Deus tem muitas surpresas para nós, além da tecnologia, no seu reino de amor, de felicidade, de delícias eternas.

Os comentários estão encerrados.