Meditação diária de 14/04/2019 por Flávio Reti – Johanna Mansfield Sullivan Macy
14/04/2019
Meditação diária de 16/04/2019 por Flávio Reti – Martinus Luder
16/04/2019

Meditação diária de 15/04/2019 por Flávio Reti – Emad El-Din Mohamed Abdel Moneim Fayed

15 de abril

Salmos 62:7  “Em Deus está minha salvação e a minha glória, Deus é meu forte rochedo e meu refúgio”

Emad El-Din Mohamed Abdel Moneim Fayed

Mais conhecido como Dodi Al Fayed e que veio ao conhecimento do público mais pelo seu envolvimento com a princesa Diana, ex-esposa do príncipe Charles, da Inglaterra. Era um egípcio, nascido em Alexandria, filho de um bilionário que era dono de uma rede de lojas de departamentos em Londres que levava a marca Harrods e também dono do clube de futebol Fulham e também do Hotel Ritz Paris. Dizem que filho de peixe peixinho é, Dodi al Fayed criou sua própria produtora de filmes e automaticamente alcançou fama e sucesso como produtor. Após a fama, o primeiro impulso foi mudar-se para Hollywood onde viveu de romances com várias mulheres, belas e famosas e com isso atraiu ainda mais popularidade. Foi noivo de Linda Atterzaedh, uma milionária iraniana, namorou Brooke Shields, casou-se com Suzanne Gregard, uma socialite americana, namorou Kelly Fisher e depois se aproximou de Diana que já estava divorciada do príncipe Charles. Esse romance entre Dodi e Diana atraiu o interesse da mídia e os paparazzi os seguiam dia e noite ávidos de obter uma foto que causasse impacto na mídia. Foi numa dessa fugas dos paparazzi que o carro onde o casal estava, a caminho do apartamento de Dodi, em Paris, que o carro bateu na pilastra de um túnel e Dodi e o motorista morreram na hora, Diana morreu no hospital. O corpo de Dodi foi enterrado no mesmo dia, porque segundo o costume muçulmano a pessoa morta deve ser enterrada dentro de 24 horas após a morte. Posteriormente seu corpo foi exumado e transportado para a Escócia, onde a família tinha propriedades. O pai de Dodi, Mohamed Al Fayed, construiu um memorial em homenagem ao filho e à princesa e posteriormente construiu outro ainda maior e mais luxuoso.

Foi-se a glória! O dinheiro não comprou a vida, pelo contrário, pôs a perder várias vidas, porque no acidente morreram Dodi, a princesa Diana, o motorista e o guarda-costas dela. Temos na bíblia o episódio da morte dos sacerdotes Hofni e Fineias, filhos do sacerdote Eli que foram mortos na batalha contra os filisteus que levaram a arca de Deus. A esposa de Fineias, que estava grávida, deu a luz prematuramente, mas ainda a tempo de dar o nome de seu filho ICABODE, que também quer dizer “Foi-se a glória” (I Sam.4:17-22). Como se vê, a glória é passageira para todos, ela sempre se vai e isso nos deveria despertar para o fato de que a glória deste mundo nunca é eterna, é sempre passageira. Devemos desenvolver uma atitude de pensarmos na glória do céu, onde tudo é eterno. Lá é onde deveríamos pensar em estar e isso é possível, pela graça de Jesus quando ele voltar em breve. Jesus disse em uma de suas parábolas que “a vida de cada um não consiste na abundância do que possui” (Luc.12:15), de onde deduzimos que não adianta e nem interessa ter coisas nesta vida. O que mais importa é ter o caráter de Cristo, que alguns pastores definem como nosso passaporte para a eternidade. Far-nos-ia bem pensar assim, afinal estamos nos preparando para o céu.

Os comentários estão encerrados.