Ministério de Publicações
13/11/2020
Culto Especial Domingo
14/11/2020

Meditação diária de 14/11/2020 por Flávio Reti – Vibrador

14 de novembro

Lucas 24:32  “Não estava queimando (não nos vibrava) o nosso coração, enquanto ele nos falava no caminho e nos expunha as Escrituras?”

Vibrador

Há muitas coisas que estão vibrando na natureza ou que podem ser vibradas com algum propósito. Por exemplo, as antenas de transmissão de voz, imagens e dados estão vibrando a uma frequência que a gente custa acreditar. Quando a gente fala em quilohertz, em megahertz ou em gigahertz que são frequências de vibração nas transmissões, nós, meros mortais, temos dificuldade para entender como um objeto pode vibrar nessa frequência e na velocidade de segundos. Nossos aparelhos celulares funcionam na frequência de 900 megahertz por segundo. Quer saber o que é isso? É uma vibração de 900 milhões de vezes por segundo que vem daquelas antenas das Estações Rádio Bases espalhadas pela cidade. Mas ninguém conhece uma antena transmissora com o nome de vibrador, embora elas sejam vibradoras. O que conhecemos como vibrador é um aparelho de massagem, um aparelho para vibrar o concreto dentro das formas e dos moldes para evitar bolhas que prejudicam a resistência. Quando você entra numa fábrica de lajes pré moldadas, fábrica de tubos de concreto, fábrica de blocos de construção, em todas elas você vai se defrontar com um vibrador para adensar o concreto. Nas fábricas de mourões de concreto para cercas, fábricas de placas de concreto para fazer muros e em qualquer fabricação de pré moldados sempre vai estar presente um vibrador. Em menor tamanho, mas ainda é um vibrador, são os vibradores encontrados nos laboratórios para auxiliar na fabricação de alguns medicamentos. A construção civil não pode prescindir de um vibrador, é um item grandemente necessário, mas não é um instrumento que a gente vê aqui e ali todos os dias, mas somente nos pátios de obras. Embora seja uma ferramenta tremendamente útil na construção civil e nas fábricas cimenteiras, ele já foi copiado e desvirtuado para uso libidinoso e vendido nas lojas que exploram produtos sexuais. É utilizado para dar prazer e satisfação às pessoas cujo sexo foi pervertido e está quilômetros longe do que foi pensado pelo criador. Não é conveniente falar desse tipo de vibrador, não nos interessa. Vamos pensar em vibrar pelo que é correto, aquilo que é sublime, pelas promessas de Jesus, pela esperança na sua volta em glória, coisas que provocam vibração autêntica, que fazem vibrar a alma com o sincero desejo de suplantar as mesquinhezes deste mundo tenebroso e poluído pela imaginação mórbida do ser humano longe de Deus. Sempre que ouvimos falar de céu, seguramente nossa alma vibra por dentro e nos faz pensar mais na eternidade, nas promessas de um Deus de amor.

Os comentários estão encerrados.