Meditação diária de 13/04/2020 por Flávio Reti – Corda
13/04/2020
CULTO DE ORAÇÃO – Quarta-feira, 19h – Transmissão Ao vivo
14/04/2020

Meditação diária de 14/04/2020 por Flávio Reti – Correio

14 de abril

II Coríntios 3:2  “Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens”

Correio

Quando você vê um carteiro passando pela sua rua, você nem imagina que existem meio milhão deles em todo mundo distribuindo correspondências a pé, de bicicleta, com carros e você logo diz “lá vem o carteiro”. Mas por trás do carteiro existe um serviço organizado que se chama correio, algo que segundo a história, surgiu no antigo Egito, 2.400 anos antes de Cristo, quando os Faraós precisavam fazer saber de seus decretos em todo território Egípcio. Como história, se fala em 2.400 antes de Cristo, mas notícia de algum documento concreto que prove a existência dos correio é datado de 255 antes de Cristo, é um papiro encontrado em Hibeh, onde um funcionário detalha como era organizado o serviço Egípcio de correio, com número de carteiros em serviço, o gênero de objeto que podiam ser enviados, informações sobre os destinatários e sobre o remetente. Conta-se que a maioria da correspondência era oficial, coisas de governo, e os “carteiros” deviam fazer a pé as distâncias entre as províncias, por isso um antigo documento datado de 2.300 a.C. dá conta de que os mensageiros da época, com medo de morrer no trajeto, faziam em vida um testamento deixando seus bens em nome dos filhos antes de assumir o trabalho. Foi Ciro, já na Medo-Pérsia, em 558 a.C. que para estar constantemente em contato com os governadores de províncias ele mesmo calculou a distância que cada cavaleiro podia percorrer em um dia e instalou postos de troca e descanso para os mensageiros e o serviço continuava inclusive à noite sem parar. Assim um percurso de 2.500 quilômetros de Sardes, que era um entreposto, até Susa, a capital do reino, era vencida pelos caravaneiros em 100 dias, mas os mensageiros montados faziam o percurso em 10 dias. O sistema de estradas criado pelos persas facilitava a vida e foi assim que os persas criaram seu serviço de correios. Os gregos nada fizeram para melhorar e os romanos imitaram os persas. Conta-se que na antiga Grécia, na guerra entre Atenas e Esparta, Feldípedes, um atleta corredor, fez o trajeto de 230 quilômetros em dois dias e ao chegar com a notícia de que Atenas vencera, ele mal deu a notícia e caiu morto exausto. No tempo dos romanos era perigoso o serviço de correios e quando os assaltantes apanhavam um mensageiro do correio, era costume cortar-lhe o polegar para privá-lo da capacidade de exercer o ofício. Há muita curiosidade sobre a origem dos correios, mas é bom lembrar do nosso costume de chamar a nossa bíblia de “a carta de Deus para nós”. E é verdade, porque ela contém toda instrução de que necessitamos para operar nossa salvação pela fé na graça de Cristo. Basta ler, então, a carta de Deus para nós.

Os comentários estão encerrados.