Comentários da Lição 6 (4o Trim/2017) por Membros da Classe do EJC
12/11/2017
Meditação diária de 14/11/2017 por Flávio Reti
14/11/2017

Meditação diária de 13/11/2017 por Flávio Reti

13 de novembro
Dia da gentileza

Salmo 32:4   “Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se transformou em sequidão de estio”

Será que só hoje é o dia da gentileza? Todos os dias são bons para revermos nossas atitudes e incentivar ainda mais a prática da gentileza, da civilidade, da cortesia, de boas maneiras e também algumas regras de etiqueta. Os veículos de comunicação deveriam abordar mais esse assunto e talvez assim aconteceria uma maior conscientização e nosso povo se encontraria com um mundo melhor, facilitando a convivência das pessoas entre as pessoas. Ser gentil não é uma tarefa difícil, qualquer um consegue e não custa tentar. Há muitos locais e situações em que podemos melhorar nesse aspecto de gentileza: no trânsito, nas filas, nos coletivos, dos balcões de vendas, nos guichês de atendimento, na roleta dos bancos. Lugar para ser gentil não falta, aliás, nunca faltou e nem vai faltar. Palavras como por favor, com licença, obrigado estão caindo de moda e ficando esquecidas. Cumprimentar educadamente as pessoas, dar um sorriso sincero, porque o sorriso fingido ninguém consegue esconder nem disfarçar. Um rápido elogio desinteressado, um lembrete pelo aniversário, ainda que seja pelo telefone, sempre é bem recebido.

Preocupar-se com as pessoas, ainda que desconhecidas, demonstrar interesse no seu bem estar, demonstrar respeito é sinal de boa educação. Muita gente que não gosta de demonstrar gentileza gosta de receber gentileza, engraçado, não? Muita coisa neste mundo é igual um bumerangue, vai longe, mas sempre volta ao mesmo local de partida, você. A ideias de escolher um dia como o dia da gentileza surgiu no Japão, quando um grupo de amigos espalhados pelo mundo se reuniu no Japão para trocar experiências e na conversa surgiu a ideia de criar um dia dedicado à gentileza e espalhar essa ideia pelo mundo. No ano 2.000 foi criado um site com o nome de World Kindness Movement – WKM.com para incentivar as pessoas a serem gentis. Havia no Rio de Janeiro um indivíduo apelidado de poeta gentileza porque ele era um homem que gastou sua vida criando grandes painéis com mensagens de otimismo nos pilares dos viadutos do Rio no intuito de incentivar boas ações e gentilezas. Essa história do poeta gentileza é contada por Gonzaguinha e por Marisa Monte.

A brandura, a gentileza, a paciência e a longanimidade, o não se ofender facilmente, o sofrer tudo, esperar tudo, tudo suportar – estes são os frutos dados pela preciosa árvore do amor, árvore de origem celeste. Esta árvore, se nutrida, demonstrar-se-á daquelas que estão sempre verdes. Seus ramos não secarão, não lhe murcharão as folhas. É imortal, eterna, continuamente regada pelos orvalhos celestes” (Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 209). 

Há alguma coisa que a gente aprende sempre e melhor na Escola de Cristo, o mestre, do que observando regras e manias da sociedade. Se seu amor penetrar no coração, ele vai modelando o caráter e dando formas à nossa educação. Na sequência vai proporcionando doçura de índole, doçura na voz, gentileza nas maneiras e no comportamento, coisas que nunca serão apagadas pelo verniz da superficialidade dos costumes sociais. Entre o povo de Deus, os que dizem estar aguardando o Salvador, tem havido pouca bondade e gentileza. O espírito competitivo do mundo parece estar sufocando as graças cristãs e a gente acaba esquecendo que a vida cristã é mais do que paciência, mansidão, bondade foçadas. Essas graças são essenciais, mas devem ser adocicadas com a gentileza natural, desenvolvida na escola de Cristo.

A falta de gentileza quase impediu uma mulher de oferecer um favor ao salvador. Ele se aproximou da mulher samaritana e lhe pediu água, algo que ninguém negaria naquelas terras, mas pelo fato dele ser judeu o preconceito o afastava da cortesia do povo. Mas Jesus foi muito sábio, ele pediu ao invés de oferecer. Se oferecesse, poderia ser rejeitado. Mas como confiança desperta confiança, o salvador pediu um favor das mãos de uma mulher rejeitada e dessa situação nasceu a conversão dela, e de muitos outros homens daquele lugar. Era a sabedoria de Jesus sendo expressa, ao dar oportunidade dela demonstrar gentileza. Quando o grande reformador Lutero necessitava da simpatia de um amigo, a providência de Deus lhe enviou Melancton, um jovem tímido. Esse jovem tinha um brilho nos olhos que assinalavam suas maneiras gentis. Muito logo ele se tornou um ardoroso discípulo do evangelho e foi o amigo de maior confiança de Lutero. Sua gentileza em assistir Lutero foi imprescindível para sua conversão e ele acrescentou força à Reforma servindo de grande animação para Lutero. Pelos frutos da gentileza de um jovem, Lutero foi capaz de enfrentar os demônios de Witemberg e implantar a maior Reforma que o mundo já presenciou.

A gentileza pode estar guardando muitas surpresas para os crentes até o fim dos tempos. Não custa ser gentil, poderemos ser surpreendidos.

Os comentários estão encerrados.