Meditação diária de 12/03/2020 por Flávio Reti – Catalizador
12/03/2020
Orientações relacionadas ao coronavírus
13/03/2020

Meditação diária de 13/03/2020 por Flávio Reti – Cata-vento

13 de março

Mateus 8:27  “Que homem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?”

Cata-vento

Por certo você já deve ter visto em cima das casas mais antigas e tradicionais alguma coisa montada no topo de uma haste em forma de um galo recortado de uma placa metálica. Logo abaixo do galo existe uma cruzeta com os pontos geográficos na ponta de cada braço da cruzeta. Quando o vento bate no “galo” ele faz girar a cruzeta e esta indica para que lado o vento está soprando, se Leste ou Oeste, se norte ou sul. É o galo do tempo, como costumamos dizer. Às vezes em lugar de galo têm umas pás, é um conjunto de quatro pás que fazem girar a cruzeta dos pontos cardeais e nos dão a direção do vento. Por tradição, costumamos associar a palavra cata-vento aos moinhos de vento muito usados ainda hoje nos países da Europa. Às vezes nem é um moinho, é uma bomba d’agua movida pelo vento, mas que usa os mesmos mecanismos dos moinhos e mais modernamente gerador de energia elétrica acoplados com os aero geradores com a nova onda de gerar sua própria energia, especialmente em lugares distantes das grandes redes de distribuição de energia. A história não registra exatamente a invenção dos cata-ventos, mas acredita-se que tenham surgido na antiga Pérsia, muito antes de Cristo, se bem que há citações da presença deles na Babilônia, no Egito, na China. Com a função de moinho eles foram introduzidos na Europa no século XII. Era a aposentadoria compulsória do pilão para descascar e moer os grãos de cereais. A prefeitura de São Paulo inaugurou um espaço Cultural de Ciência destinado à população infantil e juvenil com o nome de Cata-vento Espaço Cutural a fim de despertar o interesse desse público jovem para as ciências. O Espaço fica no Palácio das Indústrias onde era a antiga sede da prefeitura, mas nada tem a ver com o cata-vento como invenção do qual estamos falando. A palavra cata-vento traz à mente muitas imagens e lembranças e uma delas é a presidente Dilma falando em estocar o vento e nós ficamos discutindo como estocar se o vento é nada. Mas não é, ele existe e bem orientado pode produzir trabalho como girar um moinho, um gerador de energia elétrica, impulsionar um navio no mar e pode também destruir coisas como pontes, prédios, provocar tsunamis, furacões. Eu me lembro ter visto em Miami uma carreta de rodas para o alto em cima de um supermercado, resultado de um furação. Conclusão: O vento deve ser bem orientado, do contrário ele, ao invés de produzir trabalho, pode produzir desgraças. Por comparação, assim somos nós. Quando somos bem orientados podemos ser úteis à sociedade, mas se não formos, seremos prejuízos à sociedade. E a orientação que nós precisamos está contida na palavra de Deus. É de lá que vem o vento controlador na nossa impetuosidade.

Os comentários estão encerrados.