Meditação diária de 12/01/2019 por Flávio Reti – Dr. Henry Louis Smith
12/01/2019
Meditação diária de 14/01/2019 por Flávio Reti – Alexander Grahan Bell
14/01/2019

Meditação diária de 13/01/2019 por Flávio Reti – André Pinto Rebouças

13 de janeiro

Eclesiastes 3:9  “Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha?”

André Pinto Rebouças

Esta data, no ano de 1898, assinala o nascimento de um grande engenheiro brasileiro, negro, que deixou seu nome gravado numa das principais avenidas da cidade de São Paulo, André Rebouças, que hoje dá nome à avenida Rebouças no centro da capital. Além de engenheiro, ele era inventor e também militante no movimento abolicionista. Ele passou seus últimos seis anos trabalhando pelo desenvolvimento de alguns países africanos. Certa vez ele e seu irmão Antonio foram pela primeira vez à Europa, em viajem de estudo, e na volta já foram contratados pelo governo brasileiro para trabalhar na vistoria e no aperfeiçoamento do porto de Santos. Na guerra do Paraguai André serviu como engenheiro militar e quando voltou foi para o Rio de Janeiro trabalhar no projeto de abastecimento de água para a cidade do Rio de Janeiro e na construção das docas da alfândega do Rio. Dava aulas de engenharia e debatia com políticos e ministros sobre diversas leis. Morou em Lisboa como correspondente do jornal “The Times” e trabalhou em Luanda durante 15 anos e depois se fixou na Ilha da Madeira. Sabe por que estou contando tanta coisa da vida dele? Exatamente porque no dia 09 de maio de 1898 ele se suicidou e seu corpo foi achado e resgatado no pé de um penhasco próximo de um hotel onde ele viveu seus últimos dias. Uma pessoa brilhante, de grandes realizações que para si de nada serviu. Percorreu o mundo fazendo isso e aquilo para no final de sua vida morrer despedaçado ao se jogar de um penhasco. Seu trabalho, seu estudo, seu esforço para estudar na juventude, de que lhe serviram? Hoje o que se sabe dele, se é que sabem, é que seu nome está numa placa de uma avenida em São Paulo. Nem da história do Brasil ele faz parte, sequer é mencionado em algum capítulo. Fez tanto e de nada aproveitou, parece que sua vida foi um ventou que passou. Que lição sua vida deixa para nós que estamos aqui labutando, talvez tão duramente quanto ele, buscando isso e aquilo, estudando, trabalhando, planejando, mas se não soubermos o que fazer da vida, o final pode também ser inglório. Por isso, uma aproximação da nossa vida com os interesses de Deus é imprescindível. Devemos saber pensar e agir com coerência e com segurança para saber onde aportar nossa vida quando o fim chegar. Para tanto, Deus oferece o Espírito Santo para nos orientar e dirigir quando a ele recorrermos em busca de auxílio. Com muita propriedade disse Jesus para o homem “buscar primeiro o reino de Deus e sua justiça e todas as demais coisas lhe seriam acrescentadas” (Mat. 6:33). Quero crer que se Jesus assim falou é porque, com certeza, ele tem muitas coisas em estoque para dar e para acrescentar àqueles que buscam de coração aberto. Se você observar os animais, eles sempre andam com a cabeça baixa, olhando para o chão, procurando alguma coisa, pode ser um boi, um cavalo, um cachorro ou uma galinha. O interesse deles está sempre no chão, ao passo que o nosso se não está deveria estar no alto, nas coisas do céu que a gente espera serem acrescentadas. Jesus quer dar, quer acrescentar, mas precisa saber se você quer receber e só você pode responder.

Os comentários estão encerrados.