Meditação diária de 11/10/2020 por Flávio Reti – Stent
11/10/2020
Meditação diária de 13/10/2020 por Flávio Reti – Sutiã
13/10/2020

Meditação diária de 12/10/2020 por Flávio Reti – Supercondutores

12 de outubro

Apocalipse 3:15  “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; tomara foras frio ou quente!”

Supercondutores

Condutores é uma palavra muito exploradas atualmente. Canos conduzem água, fios conduzem eletricidade, veículos conduzem pessoas e mercadorias, os ventos conduzem pólen, bactérias, fungos, mas eis que surgiu agora uma palavra nova no vocabulários dos pesquisadores e cientistas, os supercondutores. Conduzir é normal, mas superconduzir? O que vem a ser isso? Superconduzir é uma propriedade física de certos materiais quando resfriados a muito baixas temperaturas e nessas condições passam a conduzir eletricidade sem resistência e sem perdas pelo caminho. Essa propriedade foi descoberta em 1911 por um físico da Holanda, de nome Heike Kamerlingh Onnes da cidade de Leiden. Ele conseguiu fabricar hélio líquido e com isso alcançou temperatura muito baixa e concluiu que a condutividade varia conforme a temperatura do condutor. Resumindo muito, mas muito mesmo, é o seguinte: A resistência elétrica dos materiais diminui gradativamente à medida que se diminui a temperatura. Há alguns materiais que mesmo em baixíssima temperatura mantêm a resistência, como o cobre e a prata, mas nos chamados supercondutores a resistência cai para zero quando o material é resfriado abaixo de zero. Pesquisando materiais cerâmicos, os pesquisadores chegaram a 90 graus Kelvin (algo em torno de menos 183 graus Celsius). O interesse das pesquisas é chegar a um supercondutor mesmo na temperatura ambiente normal sem a necessidade de resfriamento. Esse assunto é árido, não interessa muito para leigos em física, mas nos permite tirar alguma boa lição para nossa vida espiritual. Pense comigo: O evangelho precisa ser pregado, levado, conduzido a todo o mundo, a todas as raças e tribos e línguas. O meio em que vivemos é tremendamente frio com relação às coisas do céu e mesmo assim está difícil conduzir avante o evangelho. Será que o mundo precisa esfriar mais, cair mais o interesse, para daí ser possível conduzir o evangelho avante? Jesus nos advertiu que ao “se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriaria” (Mateus 24:12) e não é exatamente isto que estamos presenciando na ruas das nossas cidades? Parece que ainda vai esfriar mais, semelhante aos supercondutores, para daí haver alguma reação, alguma diminuição da resistência ao evangelho. O mundo está indo de mal a pior (II Tim.3:13), a temperatura moral do mundo está diminuindo e isto certamente vai facilitar a pregação desse evangelho eterno a todas as raças, línguas e povos, conforme a previsão dos profetas e apóstolos. Agora, nós somos os agentes, os condutores, os supercondutores que vamos facilitar a pregação no mundo ou vamos dificultar, dependendo da nossa temperatura espiritual.

Os comentários estão encerrados.