Meditação diária de 10/12/2017 por Flávio Reti
10/12/2017
Matéria no site G1 – Saiba como é a vida em um colégio interno
11/12/2017

Meditação diária de 11/12/2017 por Flávio Reti

11 de Dezembro
Dia das montanhas

Salmos 121:1   “Elevo meus olhos para os montes, de onde me vem o socorro?”

Onde quer que você viva, alguma relação com as montanhas você sempre vai ter. Talvez você nem imagina, mas elas podem controlar as chuvas na sua região, os ventos e influenciar o clima. Por exemplo, aqui na região de Campinas você raramente recebe chuvas vindas do sudeste. Elas sempre vem do lado

Noroeste, entre o norte e o Oeste, pode reparar. Sabe por quê? Porque no litoral sudeste existe uma cadeia de montanhas chamadas Serra do Mar que impedem os ventos e as chuvas daquela direção chegarem até nós aqui. Pense num país como o Japão, a Coreia que são ilhas. A maior parte da população vive no litoral de todos os lados e no centro do país estão as montanhas que são a única fonte de água potável para a população e de oxigênio, além de madeira. Eles quase não têm onde plantar, e está aí uma explicação porque eles exportam tanta tecnologia para o mundo, é porque eles precisam comprar comida de fora. Em termos de ocupação geográfica, apenas 1/10 da população mundial vive nas montanhas. Há certas plantas que só se desenvolvem no clima de montanhas, é o caso da batata dos Andes. Há animais e aves cujo habitat é nas montanhas. Então, sem que você tivesse pensado, as montanhas tem um grande significado para todas as populações e de um jeito ou de outro nós estamos relacionados com as montanhas. O lado leste dos Estados Unidos é quase só planícies e com isso a qualidade da água dessa região americana é salobra, quase intragável. Além disso, não existe quase pedras para o asfalto, para as construções, quase tudo que precisam vêm do lado ocidental, das Montanhas Rochosas que cortam do Alaska à Califórnia e continuam no México. Quem conhece, a cidade de Monte Rei, no México, é cercada por montanhas de pura pedra, sem um fio de capim lá no alto. 11 de dezembro foi escolhido como dia das montanhas para conscientizar sobre o cuidado que devemos ter com esse tipo de solo, sobre a importância das montanhas para a vida de espécies endêmicas, de animais e plantas, e que só existem nessas regiões.  As montanhas também ganham outro significado quando nos referimos a elas com uma linguagem figurada, metafórica. Subir a montanha pode significar vencer um obstáculo. Montanha pode ser símbolo de uma grande quantidade, por exemplo, quando dizemos que temos uma montanha de problemas para resolver. Também é símbolo de desafio.

A bíblia também reserva significado variados para as montanhas. Jesus escolheu a encosta de uma montanha para seu maior e mais bonito sermão, até hoje conhecido como o “sermão do monte”. O salmista disse que olhava para os montes em busca de socorro. Deus escolheu o Monte Sinai para falar cara-a-cara com Moisés. A morte de Jesus se deu no monte Calvário. O lugar de oração preferido de Jesus era o monte das Oliveiras. Ellen White, descrevendo o ambiente da terra pouco antes da vinda de Jesus declara o seguinte: “É à meia-noite que Deus manifesta o Seu poder para o livramento de Seu povo. O sol aparece resplandecendo em sua força. Sinais e maravilhas se seguem em rápida sucessão. Os ímpios contemplam a cena com terror e espanto, enquanto os justos veem com solene alegria os sinais de seu livramento. … Nuvens negras e pesadas sobem e chocam-se umas nas outras. Em meio dos céus agitados, acha-se um espaço claro de glória indescritível, donde vem a voz de Deus. Essa voz abala os céus e a Terra. Há um grande terremoto “como nunca tinha havido desde que há homens sobre a Terra; tal foi este tão grande terremoto” (Apoc. 16:18). O firmamento parece abrir-se e fechar-se. A glória do trono de Deus dir-se-ia atravessar a atmosfera. As montanhas agitam-se como a cana ao vento, e rochas irregulares são espalhadas por todos os lados. Há um estrondo como de uma tempestade a sobrevir. O mar é açoitado com fúria. Ouve-se o sibilar do furacão, semelhante à voz de demônios na missão de destruir. A Terra inteira se levanta, dilatando-se como as ondas do mar. Sua superfície está a quebrar-se. Seu fundamento parece ceder. Cadeias de montanhas estão a revolver-se. Desaparecem ilhas habitadas” (A Verdade sobre os Anjos, p.276). Note na leitura que “as montanhas agitam-se como uma cana ao vento” e mais no final, “cadeias de montanhas estão a revolver-se”. A impressão que deixa é que a terra será sacudida com uma força descomunal porque chegou o dia da vingança de nosso Deus. As montanhas serão testemunhas. Onde estará você naquele dia?

 

Os comentários estão encerrados.