Meditação diária de 10/07/2017 por Flávio Reti
10/07/2017
Meditação diária de 12/07/2017 por Flávio Reti
12/07/2017

Meditação diária de 11/07/2017 por Flávio Reti

11 de julho

Dia mundial da População

Genesis 1:28    “E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”

Esse negócio de comemorar o dia da população veio da ONU no dia em que a população mundial alcançou 5 bilhões de pessoas no mundo, lá no ano 1987. As últimas contagens dão conta de que somos no mundo hoje mais de 7,5 bilhões de pessoas. Os últimos dados divulgados pela ONU foram de 2013 e davam como 7.2 bilhões. Espera-se que não passe disso porque o ritmo de crescimento populacional vem apresentando redução.

Se você gosta de curiosidades, entra no site http://www.worldometers.info/br/ e você vai ver o andamento de muitas estatísticas no mundo. No dia que eu estava escrevendo esse devocional, havia nascido 115.000 crianças no mundo e morrido 48.000 pessoas até as 7 horas da manhã.

Bem, enquanto você vê a população mundial aumentar em bilhões, a saúde e qualidade de vida da população e direitos humanos caem no mundo inteiro. Os governos não estão conseguindo controlar a situação mundial em benefício da população e com isso o número de pobres e miseráveis vêm aumentando e se transformando numa avalanche que nenhum governo consegue barrar. O mundo está se complicando e se transformando num lugar nada seguro para se viver. É como se fosse um funil e tudo vai se apertando e entrando pelo funil para desembocar ninguém sabe aonde.

Por outro lado, as profecias do próprio Jesus para os últimos dias não são notícias alegres, porque o mundo vai estar vivendo dias difíceis. Jesus falou de fome, de guerras, de rumores de guerras, de nação se levantar contra nação, de fomes e terremotos em vários lugares. Muitos haveriam de se escandalizar e de trair uns aos outros. Falsos profetas haverão de surgir enganando a muitos. E ele disse mais: por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará (Mat.24). Numa outra ocasião Jesus mesmo perguntou: “Quando o filho do homem vier, por ventura achará fé na terra” (Luc.18:8)?

Não precisa ser profeta, adivinho, guru, vidente para enxergar que o mundo caminha a passos largos para a sua própria destruição. A produção de alimentos vem diminuindo com a diminuição das áreas plantadas, a escassez de água doce vem se agravando em todo o mundo e ninguém surge com um plano efetivo de salvar o planeta. A gente chega a perguntar: Será que Deus já nos deixou à nossa própria sorte? Essa condição do mundo já não é prenúncios da aproximação de seu fim e da proximidade da volta de Jesus para dar a cada um segundo às suas obras?

Certa vez, entrevistando o velho e querido pastor Luiz Waldvoguel, no ano de 1983, ele já estava morando em Brasília, e uma das perguntas foi: O Senhor acha que o mundo está maduro para a volta de Jesus? Ao que ele respondeu: “Maduro não, já está podre”. Se em 1983 o mundo já estava podre para a volta de Jesus, como deve estar hoje?

Quando eu olho para a situação do mundo e vejo a igreja dizendo que está esperando a volta de Jesus, eu sou tentado a inverter as coisas da seguinte maneira: Não somos nós que estamos esperando a vinda de Cristo, é Cristo que está esperando pelo nosso preparo e pela pregação em todo o mundo, só então virá o fim. Aproximamo-nos de uma crise, crise mundial, e vem a preocupação com nossa alma. Por que será que temos visto homens abandonando a fé, tanta apostasia? Estamos numa situação em que sabemos o que cremos e não seremos sacudidos para fora? Temos certeza disso? Isso de alguns estarem abandonando a verdade não deve desalentar-nos, mas fazer apenas que busquemos mais fervorosamente a bênção de Deus. Não é a educação, nem os talentos ou a posição dos homens que irá salvar-nos. Temos de ser guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para salvação. 

 

Os comentários estão encerrados.