Vacinação
10/05/2017
Comentários da Lição 7 (2o Trim/2017) por Flavio Reti
11/05/2017

Meditação Diária de 11/05/2017 por Flávio Reti

Dia do Telégrafo no Brasil

“Mostra-me um sinal do teu favor, para que o vejam aqueles que me odeiam e sejam envergonhados, por haveres Tu, Senhor, ajudado e confortado” Salmos 86:17

Não há como falar do telégrafo no Brasil sem falar do Marechal Irineu Evangelista de Souza e do seu criador Samuel Morse. O telégrafo é um precursor do telefone e foi inventado por Samuel Finley Breese Morse em 1835 depois que ele ouviu uma palestra sobre eletroímã. A telegrafia foi amplamente usada pelas corporações militares na primeira e na segunda guerras. O próprio Samuel Morse criou o código Morse que é um código muito simples de traço e ponto significando as letras para formar as palavras. Se você pensa que o código Morse está ultrapassado pode se enganar. Ainda hoje ele é usado pelos militares, pela aviação, pelo radioamadorismo em todo o mundo. Aqui no Brasil, ganhou destaque o uso do telégrafo através do Marechal Rondon, no desbravamento da Amazônia, estendendo linhas mata a dentro. Já Irineu Evangelista de Souza foi quem estendeu cabos do Recife ao Rio de Janeiro inaugurando, no Brasil, a telegrafia de longa distância. Em seguida ligou o Brasil a Portugal. De Portugal, fazendo ponte, era possível se comunicar com Londres, França e Nova York. Comunicação entre os povos era a palavra do momento no século XVII.

Mas, a comunicação que nos interessa primeiramente é a comunicação com Deus. Esse é um assunto para muitos sermões. O homem precisa de Deus, quer falar com Deus e Deus precisa falar com o homem. Na verdade, Deus já falou tudo que precisava e que era necessário e deixou escrito na sua palavra, a Bíblia. Nós temos nas mãos a palavra de Deus e temos ainda outro recurso muito importante que é a oração. A oração, diz Ellen White, é o respirar da alma, é falar diretamente com Deus. Ela mesma disse: “Nenhuma oração nenhum poder, pouca oração pouco poder, muita oração muito poder”.

Entre os muçulmanos, eles se dirigem a Deus através de Maomé, entre os budistas, através de Buda, no espiritismo através de algum “espírito iluminado”, no catolicismo o leque de intermediários é maior. Os católicos se dirigem a Deus através de Maria, ou de algum outro “santo”. Nós, cristãos, somos orientados a nos dirigir diretamente a Deus, mas em nome de Jesus.

É corrente a prática da oração entre os cristãos. Todos nós sabemos que devemos orar a Deus e não simplesmente orar, mas orar com fé porque Jesus disse que “se pedimos alguma coisa em seu nome, ele faria” (Jo.14:13). A prática da oração sempre foi incentivada e estimulada por Jesus.

Agora, torna-se muito importante que ao orar estejamos abertos para aceitar com humildade e submissão as respostas de Deus. Depois, outra necessidade é de agradecimento por tudo e por nos ter respondido. Tão importante quanto orar é agradecer. Lembra da história contada por Jesus dos dez leprosos que foram curados mas só um voltou para agradecer? Jesus notou o ato falho ao perguntar: “Onde estão os outros nove?” (Luc.17:17). Então, pare um pouquinho agora mesmo e ore. Peça e desde já agradeça, porque Deus está ouvindo e disposto a atendê-lo. Simplesmente ore!

“Pais e mães, por mais prementes que sejam vossos afazeres, não deixeis de reunir vossa família em torno do altar de Deus. Pedi a guarda dos santos anjos em vosso lar. Lembrai-vos de que vossos queridos estão sujeitos a tentações. Aborrecimentos diários juncam a estrada tanto dos jovens como dos mais idosos. Os que querem viver vida paciente, amorável e satisfeita, devem orar. Somente obtendo constante auxílio de Deus podemos alcançar a vitória sobre o eu” (CBV, 393). Precisamos vigiar, orar e trabalhar, dando em todas as coisas atenção às instruções de Deus em Sua Palavra.

Os comentários estão encerrados.