Meditação diária de 10/09/2020 por Flávio Reti – Quilha
10/09/2020
Culto Sábado
11/09/2020

Meditação diária de 11/09/2020 por Flávio Reti – Radar

11 de setembro

I João 3:2  “Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque assim como ele é, o veremos”

Radar

A palavra Radar é uma sigla em Inglês da expressão Radio Detection and Ranging (Detecção e Telemetria por Rádio) e é um equipamento usado para detectar objetos ainda distantes e calcular sua distância até a antena e passar informações para os pilotos de ar e terra que se aproximam. Seu funcionamento é tecnicamente difícil de entender, mas a grosso modo é um emissor de ondas eletromagnéticas através de uma antena, geralmente parabólica, que emite ondas e capta de volta quando elas encontram pela frente algum objeto refletor e pelo tempo decorrido entre emitir a onda e recebê-la de volta, os cálculos matemáticos permitem precisar onde está o objeto. O primeiro radar do qual se tem notícia foi construído por um alemão, Christian Hülsmeyer em 1904, mas na ocasião ninguém viu utilidade prática para a invenção, até que se chegou à primeira guerra mundial e então ele foi grandemente explorado pelos exércitos de ambos os lados. Em 1934, Pierre Davis começou revisando as teorias do alemão e se juntou a outros dois, Henri Gutton e Maurice Ponte, que juntos conseguiram criar um radar melhor do que o feito pelo alemão e que funcionou com muita precisão. O primeiro radar de uso prático foi instalado em um navio de passageiros, o SS Normandie, de bandeira francesa, para detectar obstáculos à frente. A importância dos radares foi percebida na previsão de ataques inimigos, pois os ingleses sabiam com precisão a distância, velocidade e direção do ataque, tendo tempo de dar o alarme para a população se proteger, diminuindo imensamente as baixas civis, apesar do bombardeio constante efetuado pelos alemães. Hoje radares não são novidades, porque a cada curva das estradas lá está um esperando o motorista incauto para multar. Eles são usados para navegação pela marinha, nos ares pela aeronáutica, pelo exército para vigiar os inimigos, pelas autoridades de trânsito, e para pesquisar o espaço sideral em busca de vida, de planetas habitados, de água nos planetas. Na verdade é o olho eletrônico que vê à distância. E foi fazendo experiências com radares que um pesquisador, Percy Spencer, chegou ao forno de micro-ondas, que toda dona de casa precisa ter um. Mas quando se pensa em radar, ver de longe, ter um retorno, por que não pensamos também em Deus que, muito mais que um radar, Deus sabe, Deus ouve, Deus vê (Hino n.500 do Hinário Adventista) e só espera nosso retorno para tomar providências. Na próxima vez que você ouvir falar em radar, lembre-se que Deus, muito mais que um radar, sabe, ouve e vê de perto e de longe, não importa, porque o importante é você.

Os comentários estão encerrados.