Meditação diária de 10/03/2020 por Flávio Reti – Cartão de Crédito
10/03/2020
Meditação diária de 12/03/2020 por Flávio Reti – Catalizador
12/03/2020

Meditação diária de 11/03/2020 por Flávio Reti – Cartão telefônico

11 de março

Provérbios 14:15  “O simples dá crédito a tudo, mas o prudente atenta para os seus passos”

Cartão telefônico

Houve um tempo em que telefone era só residencial e alguns aparelhos em pontos públicos, como praças e jardins, gentilmente apelidados de Orelhão. Para quem estava em casa ou no escritório sempre tinha um telefone à mão, mas quem estava na rua não tinha e precisava se socorrer dos orelhões públicos. Para um orelhão funcionar, inicialmente, a gente comprava em postos credenciados umas fichas, imitando uma moeda, que introduzida no orelhão liberava a linha para o cliente discar o número desejado. Nessa época eu viajei pela primeira vez aos Estados Unidos e lá chegando eu senti a necessidade de telefonar para minha casa avisando que estava tudo bem, que eu havia chegado em segurança. Mas eu precisava de “ficha” para telefonar, então, me aproximei do balcão de uma companhia aérea e perguntei à atendente: Onde eu compro ficha para telefonar? E Ela estranhando me respondeu: “O que”? E eu na minha ignorância repeti: Onde eu compro ficha para telefonar? Ao que ela deve ter entendido e respondeu: “Você quer dizer troco, moeda? Vai ao andar de cima e lá existe uma máquina, onde você pode trocar cédulas por moedas. Foi aí que me “caiu a ficha” e eu entendi que lá eles não usavam ficha para telefonar, mas a própria moeda do dinheiro. Futuramente, como havia muito roubo das fichas nos orelhões, a Companhia Telefônica criou o sistema de cartão com crédito. Você ia aos postos credenciados e comprava um cartão semelhante ao cartão de crédito, um cartão de plástico, com um valor específico e usava nos orelhões até acabar o crédito, de maneira que não ficava nada no orelhão, o dinheiro já havia ficado no posto vendedor do cartão. Hoje ficha, cartão telefônico são coisas do passado, o celular fez caducar tudo isso, estamos vivendo uma nova era. A Senhora White nos informa de uma curiosidade com cartões, mesmo no próprio céu. Veja o que ela escreveu: “Há perfeita ordem e harmonia na cidade santa. Todos os anjos comissionados para visitar a Terra, levam um cartão de ouro e, ao entrarem e saírem, apresentam-no aos anjos que ficam às portas da cidade. O Céu é um lugar agradável. Anseio ali estar e contemplar meu amorável Jesus, que por mim deu Sua vida, e achar-me transformada a Sua imagem gloriosa. Oh! quem me dera possuir linguagem para exprimir as glórias do resplandecente mundo vindouro! Estou sedenta das águas vivas que alegram a cidade de nosso Deus” (Primeiros Escritos, p.39). Ela fala de anjos usando cartão, mas será que nós, tão explorados pelos cartões de crédito por aqui, vamos também usar cartões no céu, embora sejam de identificação e não de crédito? Não me importo, com cartão ou sem cartão eu quero estar lá, e você?

Os comentários estão encerrados.