Desbravadores do UNASP terão papel de destaque no Campori 2019 da DSA
10/01/2019
Comentários da Lição 2 (1o Trim/2019) por Classe 3
11/01/2019

Meditação diária de 11/01/2019 por Flávio Reti – Abul Alcacim Maomé ibne Abdalá ibne Abdal Mutalibe ibne Haxim

11 de janeiro

João 10:11  “Eu sou o bom pastor e o bom pastor dá sua vida pelas suas ovelhas”

Abul Alcacim Maomé ibne Abdalá ibne Abdal Mutalibe ibne Haxim

Você alguma vez já ouviu alguém falar esse nome? Abul Alcacim Maomé ibne Abdalá ibne Abdal Mutalibe ibne Haxim? Esse é o nome completo do profeta Maomé, o grande líder religioso, político e militar segundo a religião islâmica. Para os muçulmanos, Maomé é a continuação de Jesus, Moisés, Davi, Jacó, Isaac, Ismael e Abraão e por isso ele é considerado pelos árabes como um dos seres humanos mais perfeito e assim ele é descrito no Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos. Inicialmente, Maomé era um comerciante que fez muitas viagens comerciais no início de sua vida adulta e tinha por hábito sempre orar e meditar nas montanhas ao redor de Meca. Acredita-se que quando Maomé tinha 40 anos, numa dessas oportunidades de retiro espiritual dentro de uma caverna, ele foi visitado pelo anjo Gabriel que lhe comunicou que Deus o havia escolhido para ser o último profeta já enviado à humanidade. Segundo ele, Deus o enviou para restaurar os ensinos religiosos do judaísmo e do cristianismo porque estavam adulterados e esquecidos pelo tempo. Diz-se que no dia 11 de janeiro do ano 630 Maomé destruiu todos os ídolos que havia em Meca, no santuário de Kaaba. Segundo a história, Maomé foi se tornando cada vez mais hostil aos judeus porque percebeu que havia muitas diferenças que eram impossíveis de conciliar com sua ideologia e a crença dos judeus. Mas muitos habitantes de Meca, de início, rejeitaram sua mensagem e passaram a perseguir a ele e a seus adeptos a ponto dele ser obrigado a deixar Meca e se mudar para Iatribe, hoje Medina, e ali ele veio a ser o chefe da primeira comunidade de fato muçulmana. Houve batalha acirrada entre os habitantes de Meca e de Medina, mas finalmente Maomé obteve a vitória. Hoje o Islã, maometismo, é uma das maiores religiões do mundo e quase todos os países de fala árabe aceitam Maomé como seu líder religioso e fundador do chamado islamismo. Recentemente, na França, um jornal publicou charges criticando Maomé e esse fato causou muita comoção no mundo árabe. Como represália, os jornais e noticiários árabes fizeram uma competição nacional de charges sobre o holocausto nazista. Quanta diferença do manso e meigo Jesus, que sendo rico se fez pobre, que sendo Criador do universo se deu a morrer numa cruz por amor das suas criaturas. E Jesus faz mais, ele ainda quer salvar a todos para seu reino eterno e por isso nos acena com a vida nas mansões celestiais para estar com ele sempre e eternamente. Muitos líderes têm surgido pelo mundo, mas Jesus já nos precaveu do surgimento deles e hoje podemos contar as centenas deles em todos os países. Aqui mesmo no Brasil temos o Inri Cristo, aquele catarinense que se diz ser o Cristo reencarnado, mas que até agora ninguém viu um milagre dele, ninguém viu um ato de cura, de ensino, de promessa de vida por parte dele. Em seu novo livro, ‘O Último Testamento’, o fotógrafo norueguês Jonas Bendiksen registra homens que alegam ser a reencarnação de Jesus Cristo. Foram dois anos viajando pelo mundo acompanhando o cotidiano deles e de seus seguidores, incluindo o do brasileiro Inri Cristo. Mas até hoje eles a ninguém salvaram e nem há esperança que o façam algum dia.

 

Os comentários estão encerrados.