Meditação de Pôr do Sol 09/08/2019 por  Daniela Soares dos Santos
09/08/2019
Dia dos Pais 2019
10/08/2019

Meditação diária de 10/08/2019 por Flávio Reti -Elias Howe

10 de agosto

Jó 9:29  “Se eu serei condenado, por que, pois, trabalharei em vão?”

Elias Howe

Até setembro de 1986, todas as roupas eram feitas à mão. Agora imaginem o trabalho que dava fazer uma simples túnica desde a colheita do algodão, ou do linho, fazer fios, não um, mas vários, tecer manualmente e só depois começar a fazer a túnica. Era, penso eu, entediante a empreitada de fazer roupas, e isso vinha desde que o homem foi expulso do Éden. Mas eis que nasceu, em 1819, um tal Elias Howe que em 1846 inventou a máquina de costura com ponto fixo para alívio das mulheres de lá para cá. Eu tenho algumas lembranças de costureiras e de alfaiates. Eu gostava de ir à casa de uma costureira pedir carretéis de linha vazios para fazer carrinhos com eles. Ou eu entrava na alfaiataria de um vizinho nosso para apanhar sua tesoura e cortar borracha para fazer estilingue, mas numa dessas eu me dei mal, porque o alfaiate já se sentindo molestado pelos meninos, resolveu eletrificar a máquina de costura e deixar a tesoura ali em cima da máquina. Advinha o que aconteceu quando eu fui correndo pegar a tesoura do alfaiate? Já entendeu! Em 1800 começou no mundo o século das grandes invenções, máquina de costura, cortadeiras, plantadeiras, arados puxados por animais, a máquina a vapor, a imprensa mecanizada, telescópio, e muitas outras. Hoje quando se fala de grandes invenções o que acontecia em 1800 era coisa boba diante de aviões, foguetes teleguiados, robôs inteligentes, internet, computadores e tanta coisa mais. Mas Elias Howe deixou seu nome nas páginas da história com a invenção da máquina de costura, para alívio das mulheres, já disse. Ele era apenas um operário de uma fábrica americana de instrumentos de precisão (metros, paquímetros, chronometers, vasos calibrados, ferramentas) e um dia seus interesses se despertaram para inventar alguma coisa nova e diferente do que vinha fazendo na fábrica como mecânico e disso surgiu ele com a máquina de costura que imediatamente alcançou tremendo sucesso no mundo e ele requereu a patente. Surgiu depois a denúncia de que um Inglês, chamado Walter Hunt já havia inventado mas não havia patenteado. Na verdade, o que Howe fez foi modernizar e aperfeiçoar a máquina de costura. Muitos vinham tentando fazer a tal máquina que costurasse, mas ninguém havia atendado para uma agulha com o orifício na ponta ao invés de no pé, um fuso que trabalhasse por baixo do pano entrelaçando o fio e um sistema de alimentação automática do fio. Bem, Howe morreu milionário, mas com a doença da gota e de um coágulo sanguíneo.

Agora fica a pergunta: Tanta luta pelos direitos de patente, tanto esforço para iniciar uma fábrica própria, lutas na justiça porque outros como Walter Hunt e Isaac Singer reclamavam os mesmos direitos de invenção, as dificuldades para colocar seu invento no comércio, as dificuldades financeiras para a elaboração do produto, será que tudo valeu a pena? Ou foi apenas enfado e canseira, como diz a bíblia? Há coisas pelas quais nós lutamos tanto e acabam sendo de nenhum resultado duradouro, mas seria bom termos em mente que há coisas eternas pelas quais compensa lutar, porque esta vida é muito incerta, mas a vida eterna é certa, e vale a pena lutar por ela.

Os comentários estão encerrados.