Meditação diária de 09/03/2020 por Flávio Reti – Carretilha de Pesca
09/03/2020
Meditação diária de 11/03/2020 por Flávio Reti – Cartão telefônico
11/03/2020

Meditação diária de 10/03/2020 por Flávio Reti – Cartão de Crédito

10 de março

Lucas 10:35  “…Cuida dele e tudo o que gastares a mais eu to pagarei quando voltar”

Cartão de Crédito

Os cartões de crédito, como você os conhece, nasceram nos EUA, na década de 1920, quando grandes empresas privadas como redes de hotéis e empresas petrolíferas passaram a emitir cartões para que seus clientes pudessem comprar delas a crédito. Os clientes eram cadastrados e bastava apresentar o cartão que a compra seria feita a crédito, depois eles pagariam. Eles não tinham dinheiro, mas tinham o cartão que lhes conferia crédito para comprar. Lógico que os cartões evoluíram do que eram para o que são hoje com chip de dados, com nome do portador, com uma tarja magnética, com um número de cadastro, com outro número de segurança e seguem um padrão definido de formato e tamanho dado pelo ISO 7810. Hoje ele compra bens e serviços com facilidade e o titular recebe em casa pelo correio ou por Email a fatura para ser paga no dia do vencimento. Lógico que ele tem um limite de crédito, além do qual ele não compra mais. Põe atenção nesta frase: “O pagamento da fatura libera o limite para ser usado novamente”. A história do cartão de crédito começou com um executivo do mercado financeiro, Frank MacNamara, que saiu para jantar com executivos em um restaurante de Nova York. Por um acaso, no final da refeição ele se deu conta de que havia esquecido a carteira em casa e diante do constrangimento, um dos seus convidados tirou do bolso um cartão de visitas e assinou atrás se comprometendo a pagar, caso Frank não o fizesse. O dono do restaurante aceitou o cartão e aguardou o pagamento que Frank integralizou no dia seguinte. Mas o incidente deu a Frank um ótima ideia, a de criar um cartão que identificasse o portador e lhe desse crédito para comprar sem dinheiro e a empresa emissora do cartão se responsabilizaria de pagar ao vendedor até que o titular do cartão pagasse a empresa emissora do cartão, e assim foi que ele criou a empresa The Diners Club, inicialmente apenas com 200 pessoas portadoras de cartão e 27 restaurantes que aceitavam o cartão. Mas muito logo o sistema agradou e em 1952 o cartão passou a ser aceito nacionalmente nos Estados Unidos e o Diners Club existe até hoje. Um empresário Tcheco, de nome Hanus Tauber, em 1954 comprou uma franquia da Diners Club e lançou o cartão de crédito no Brasil em sociedade com Horácio Klabin. Atualmente, só a VISA tem mais de 15.000 instituições financeiras que emitem cartão com a bandeira Visa que é aceito em mais de 25.000.000 de estabelecimentos e em mais de 200 países, internacionalmente. Depois vem a Mastercard, a American Express e outras. Lembra da frase “o pagamento da fatura libera o limite para ser usado novamente”? Será que isso vale para a vida religiosa? Será que uma vez perdoado o pecador fica livre para pecar novamente? Lembre-se que isso aqui não é cartão de crédito, é um compromisso com Deus.

Os comentários estão encerrados.