Meditação diária de 09/02/2020 por Flávio Reti – A Betoneira
09/02/2020
Meditação diária de 11/02/2020 por Flávio Reti – O Binóculo
11/02/2020

Meditação diária de 10/02/2020 por Flávio Reti – A Bicicleta

10 de fevereiro

Provérbios 1:32  “Porque o desvio dos néscios os matará e a prosperidade dos loucos os destruirá”

A Bicicleta

Sabia que existe o dia da bicicleta criado pela ONU no dia 12 de abril de 2018? Diz a organização que é uma dia de conscientização para os vários benefícios de saúde e de facilidade de transporte e de lazer com a bicicleta, porque segundo o secretário da ONU, “andar de bicicleta é uma fonte de benefícios sociais, econômicos e ambiental”. Dizem alguns que a bicicleta foi mais uma invenção de Leonardo da Vinci, mas os chineses contestam dizendo que foi inventada por um chinês há 2.500 anos e os alemães reclamam a glória de tê-la inventado em 1817 por um tal Karl von Drais e ele mesmo patenteou seu invento em 12 de janeiro de 1818 na cidade de Baden. A primeira competição de ciclismo que se tem notícia foi em 1829 com 26 delas percorrendo 5 quilômetros na cidade de Munique. Foi um francês de nome Ernest Michaux que inventou o sistema de pedal, mas na roda da frente em um tipo de triciclo que se popularizou e a prefeitura de Paris criou ciclovias nos parques parisienses só para os ciclistas evitarem acidentes nas ruas com as charretes e as carroças, com os animais de montaria, porque os animais se assustavam e causavam acidentes ferindo os condutores das bicicletas e das charretes. Mas as bicicletas ainda eram aquelas rodas enormes na frente e uma rodinha pequena atrás com os pedais na roda da frente e eram apelidadas de Drausianas. A bicicleta mesmo com pedais no centro, com engrenagens e catracas ligadas por uma corrente, rodas rolamentos e com câmara de ar foi invenção de um veterinário escocês (John Boyd Dunlop) em 1890 e na Inglaterra. A bicicleta só chegou ao Brasil no final do século XIX e aportou pela primeira vez em Curitiba onde havia mais imigrantes europeus. A praça Roosevelt, no centro de São Paulo, foi o local onde uma mulher (Veridiana da Silva Prado) construiu um velódromo dentro de sua propriedade só para os amantes da novidade, a bicicleta. Mas, quem quiser andar de bicicleta precisa desenvolver a capacidade de equilíbrio e muita gente jamais consegue se equilibrar em cima de uma bicicleta. O equilíbrio é uma habilidade que o ser humano desenvolve com o tempo. E nós precisamos de equilíbrio não só para andar de bicicleta, mas em tudo na vida é necessário. Há um provérbio latino que diz “virtus médium est” para dizer que a virtude está no meio, de onde concluímos que a beleza da vida está no equilíbrio de tudo. Trabalhar demais faz mal, não trabalhar também faz mal, comer demais faz mal, não comer também faz mal e assim tudo que você pensar exige equilíbrio, até nos regimes para emagrecer é necessário. Uma pessoa normal é equilibrada em tudo. Aqui fica claro que devemos evitar o fanatismo religioso e também o liberalismo.

Os comentários estão encerrados.