Você sabia que o App… #8 Comentários da lição
08/10/2017
Meditação diária de 10/10/2017 por Flávio Reti
10/10/2017

Meditação diária de 09/10/2017 por Flávio Reti

09 de outubro
Dia do atletismo

I Coríntios 9:24   “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis”

Não há como falar de atletismo sem recorrer às origens que retornam à antiguidade grega e aos primeiros jogos olímpicos realizados no ano 776 antes de Cristo. Atletismo é uma modalidade esportiva onde se praticam maratonas, marchas, corridas, saltos e arremessos. Corridas são as provas mais comuns e por isso mesmo são as mais divulgadas nos meios de comunicação. O Brasil já possuiu grande figuras representativas dessa modalidade (Adhemar Ferreira da Silva, João Carlos de Oliveira, o João-do-pulo, Robson Caetano, Maurren Maggi, Jadel Gregório). O Brasil possui também importantes recordes nessas modalidades olímpicas. Nos jogos olímpicos, realizados de quatro em quatro anos e os jogos pan-americanos realizados de dois em dois anos são os maiores eventos onde essas figuras se destacam. As provas são realizadas em estádios com pistas adequadas e próprias para a modalidade e podemos destacas entre as provas o salto em altura, salto em distância, arremesso de dardos, arremesso de peso, corrida dos cem metros rasos, de quatrocentos metros, revezamento quatro por quatro, corrida de oitocentos metros, de mil metros, e a maratona de 42 quilômetros e algumas outras.

Em São Paulo, no dia 31 de dezembro na virada de ano, se realiza a corrida de São Silvestre que vem se popularizando a cada ano e trazendo corredores do mundo todo.

Falando em atletismo, corridas, recordes, é bom lembrar que a vida em si é uma grande competição. Aqui todos correm, mas nem todos alcançam um prêmio. A competição da vida é muito cruel. Ela descrimina e põe muitos para fora da corrida. Nós, como corredores, precisamos estar focados no alvo, no nosso caso, no supremo alvo que é a coroa da vida eterna.

A bíblia registra uma corrida de dois discípulos, logo após a ressurreição de Jesus, quando Pedro e outro discípulo foram informados por Maria Madalena de que a pedra da entrada do sepulcro estava removida. Ela voltou correndo também e foi procurar Pedro e contou-lhe que tiraram a pedra e não sabia onde haviam colocado o corpo de Jesus. Os dois discípulos foram correndo ao sepulcro, mas o outro discípulo correu mais do que Pedro e chegou primeiro (Jo.20:1-4).

Paulo, o discípulo que entrou na corrida tardiamente, mas foi o que mais percorreu lugares pregando a palavras, convoca a todos para correr com perseverança a corrida da fé (Heb.12:1). Para ele a vida cristã é uma corrida e ele apela da seguinte maneira: “Portanto, nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta, fitando os olhos em Jesus, o autor e consumador de nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus”. Para Paulo Jesus já alcançou o alvo e agora é a nossa vez de correr a corrida da fé sem esmorecer, correr com perseverança, fitando os olhos em Jesus.

Daniel disse que nos últimos dias muitos correrão de uma parte para outra enquanto a ciência se multiplicaria (12:4). Realmente, o mundo está em desabalada correria, mas os homens correm em direção indefinida, sem rumo e sem objetivo. A proposta de Paulo é correr a corrida que nos está proposta, a corrida para o alvo que é Cristo Jesus. Pedro disse que os gentios achavam estranho os crentes não correr com eles nas desenfreada dissolução do pecado (I Pe.4:4). Somos atletas, mas somos atletas de Cristo, nossa corrida não é competitiva, é uma corrida inclusiva na qual vamos arrebanhando a todos que se dispõem a correr conosco e vamos incluindo na corrida até chegarmos juntos ao reino dos céus. Eu gosto dessa expressão, chegar ao reino dos céus. É nesta corrida, nessa luta que Paulo lutava e não dava golpes a esmo, no ar, porque ele, tanto quanto nós, tinha um objetivo: chegar lá. Meu irmão, a corrida continua, tome fôlego e continue correndo. A cada passo a distância fica menor e um dia chegaremos lá.

Os comentários estão encerrados.